PRAIA DO SACO E LAGOA DOS TAMBAQUIS: DUAS GRANDES ATRAÇÕES TURÍSTICAS DE ESTÂNCIA, MUNICÍPIO DE SERGIPE

Veja também as seguintes postagens:

- Parque dos Falcões: Aves que merecem sua visita em uma viagem a Sergipe

- Mangue Seco: dunas, coqueirais, rio e mar num passeio a partir de Aracaju

- Passeio ao Cânion do Xingó a partir de Aracaju: é cansativo, mas vale a pena!

- Aracaju, Mangue Seco, Cânion do Xingó e Praia do Saco: Um Quarteto Fantástico


A Praia do Saco fica no município de Estância, no litoral sul de Sergipe, a cerca de uma hora de carro de Aracaju (aproximadamente 70 km). Devido a essa curta distância e às belezas naturais da Praia do Saco, Estância é um dos destinos de passeio a quem está hospedado na capital sergipana. Belezas que renderam à Praia do Saco a fama de uma das 100 praias mais bonitas do mundo, título concedido por uma revista francesa chamada Grands Voyageurs. Mas antes de chegar à Praia do Saco, o turista deve saber de duas coisas: a praia foi assim eleita pela tal revista há alguns anos atrás (o meu guia turístico falou em qual ano, mas não me lembro mais e nem consegui descobrir depois) e a paisagem dessa praia que estampa vários souvenirs de Sergipe e que muito provavelmente foi a responsável pela avaliação da revista é a Ponta do Saco. Ciente disso, o turista não vai se decepcionar assim que pôr seus olhos na Praia do Saco ou na Ponta do Saco. E antes que alguém comece a querer me criticar por tal afirmação, digo logo que tanto uma quanto a outra são belas, mas a Praia do Saco é muito mais bonita quando se chega à tal ponta, que, por sua vez, já não é mais a mesma dos cartões-postais e souvenirs. A ação do mar já mudou muito aquele lugar, conforme o bugueiro me explicou.

Uma coisa que me deixou confusa foi a maneira como eu deveria me referir àquele cenário emblemático, pois há duas formas: Ponta do Saco (como falei acima) e Praia da Ponta do Saco. E pelo o que eu entendi, a Ponta do Saco é uma praia dentro da Praia do Saco (entendeu minha confusão?), ou melhor dizendo, uma extensão da Praia do Saco. Para fazer você chegar lá (à Ponta, quero dizer), os bugueiros oferecem seus passeios, que incluem outras duas paradas, sendo a última para banho nas piscinas naturais. O tour dura em média uma hora e meia a um custo de R$140,00 (valor de janeiro de 2016), que pode ser dividido por até quatro passageiros, capacidade máxima do buggy. Se você estiver sozinho ou a dois, não tem jeito, o valor do passeio é o mesmo. 

A Praia do Saco é muito procurada por sergipanos e turistas não só pela fama e beleza, mas também por ser uma das mais tranquilas de Sergipe e por ter mar calmo e cristalino. Mas não se iluda muito se você resolver visitá-la na alta temporada, nos finais de semana ensolarados e nos feriados também ensolarados. Pela quantidade de mesas e cadeiras que vi nos quiosques, a praia tem lá seus dias de agito. Eu fui num mês de alta (janeiro), mas a praia estava bem tranquila de um jeito que eu não queria: debaixo de chuva. Lamentavelmente foi assim minha visita à famosa Praia do Saco, debaixo de muita água, e eu sacolejando por entre as dunas dentro do buggy, secando a máquina fotográfica entre uma foto e outra (depois me rendi à minha câmera à prova d'água, que não é tão boa) e rezando para que aquela chuva parasse logo. Apesar de tudo, curti o passeio, mas não vou negar que a chuva atrapalhou a contemplação do lugar. Era a manhã de meu último dia em Sergipe, então, nem se eu quisesse, eu poderia ter mudado o dia da minha visita, o que muitos outros que não estavam nessa situação devem ter inteligentemente feito.

Se você estiver hospedado em Aracaju, verá nos folhetos turísticos que a Praia do Saco é um dos "passeios" clássicos da região. Não faltam agências que ofereçam esse "passeio", que, na verdade, é só o traslado de ida e volta. Eles pegam o turista no hotel, levam até a praia, deixam num ponto de apoio escolhido por eles (restaurante ou quiosque) e marcam a hora de retorno. Algumas explicações turísticas podem ser dadas durante o caminho, que, diga-se de passagem, é dominado por centenas de coqueiros. Você tem seu tempo livre para aproveitá-lo como quiser na Praia do Saco, lembrando que tudo lá é opcional (a não ser que seja um pacote especial, mas não cheguei a ver nenhum assim): alimentação, bebidas, buggy, lanchas para as ilhas, quadriciclos. Vá disposto a pagar por um passeio, a não ser que você goste de ficar lagarteando na praia, comendo petiscos e bebendo, e não faça questão de ver a Ponta do Saco. Se não, ficar horas na Praia do Saco sem fazer nada pode ser para você - com minha mania de trocadilhos - um saco. E digo "horas" porque o passeio à Praia do Saco oferecido pelas agências de turismo de Aracaju é de dia inteiro. Geralmente começam a pegar os turistas nos hotéis por volta das 7:00 e terminam por volta das 17:30. Nem todas incluem no tour uma parada na Lagoa dos Tambaquis (da qual falo mais adiante) e cobram por pessoa uma média de R$60,00 (lembrando que esse valor é sem nenhum opcional e corresponde ao mês de janeiro de 2016). O trajeto pode ser de van ou ônibus, dependendo do número de turistas. Algumas das agências em Aracaju que realizam o traslado à Praia do Saco são: Crystal Turismo; Farol Tur; Nozestur. As três são muito conhecidas e bem recomendadas. 

Agora, quer saber como eu fui à Praia do Saco? De táxi, com taxista indicado pelo hotel (vá só com um recomendado), já com o valor fechado de R$220,00. O valor foi de ida e volta e o taxista ficou nos esperando enquanto nos divertíamos. Na verdade, ele nos cobrou R$240,00, mas, como fizemos outros passeios com ele, rolou um descontinho. Não foi uma forma econômica de se chegar lá, é claro, mas eu jamais conseguiria fazer o passeio de buggy e ainda parar na Lagoa dos Tambaquis e estar de volta ao hotel pontualmente às 11:30 da manhã (saí do hotel às 7:15) se não tivesse sido de forma privativa. Perdi por um lado, mas lucrei por outro. O passeio foi um pouco corrido, mas teve de ser assim porque naquela tarde eu já embarcaria no meu voo de volta para casa.
      
E se você estiver se perguntando por que eu falei sobre o opcional da lancha na Praia do Saco, fique sabendo que a partir dali você pode fazer um passeio a bordo de uma até a Ilha da Sogra e Mangue Seco (Bahia). A Ilha da Sogra é um banco de areia que aparece quando a maré está baixa. 

DICA: Digamos que você só tenha mais um dia em Aracaju e que ainda não tenha ido nem a Mangue Seco nem à Praia do Saco, mas deseje muito fazer as duas coisas e não saiba o que decidir já que os tours a cada um desses destinos são praticamente de dia inteiro. Minha dica é que você combine sua ida à Praia do Saco com Mangue Seco no mesmo dia, o que é perfeitamente viável e, para mim, na medida certa se seu objetivo turístico for primordialmente a contemplação. Em Mangue Seco, perguntei a um dos rapazes que faziam o serviço de travessia entre a Praia do Saco e Mangue Seco de lancha quanto custava esse percurso de ida e volta e a resposta foi "170 reais" (combine o horário de retorno com o condutor). Achei caro, mas a lancha leva até 5 passageiros, então dá para rachar esse valor. Em Mangue Seco, é imprescindível explorar as dunas a bordo de um buggy. De lancha, leva-se em torno de 10 minutos para se chegar a Mangue Seco a partir da Praia do Saco.



A Praia do Saco, no litoral sul de Sergipe, fica próxima da divisa entre Sergipe e Bahia. Esta foi uma das primeiras fotos que tirei quando cheguei à praia, que foi numa barraca onde há serviço de restaurante e banheiros e onde alguns bugueiros fazem ponto. Este lado da praia fica numa parte mais à direita, que, segundo nosso motorista, é mais tranquila. As agências de turismo têm determinadas barracas de praia como base de apoio. A da Crystal Turismo, por exemplo, é a Asa Branca.


Assim que chegamos à Praia do Saco, ficamos esperando por uns quinze minutos a chuva passar, mas ela não dava trégua. Veja que a barraca tem muitas mesas e cadeiras na areia, mas há uma parte coberta também, que foi onde nos abrigamos.


Decidimos nos render à chuva e lá fomos nós no passeio de buggy. A primeira parada foi no cartão-postal da Praia do Saco, ou seja, na Ponta do Saco, que é este cenário aqui: uma extensa faixa de mata que forma uma ilha deserta. Na imagem que há desta praia nos souvenirs, a ilha é cercada por uma faixa de areia que não vimos aqui.


A Ponta do Saco, uma extensão da Praia do Saco, fica no ponto onde o rio e o mar se encontram. O rio se chama Real, que divide Sergipe e Bahia. Daqui é possível avistar Mangue Seco, na outra margem.


Segundo nosso bugueiro, a Praia do Saco já sofreu muitas modificações com o avanço do mar. Durante o passeio, ele nos mostrou algumas casas que foram destruídas pelo mar.


Aqui ainda estamos na Ponta do Saco, local onde também há muitos coqueiros. 


Ponta do Saco - um dos cartões-postais de Sergipe.


A Ponta do Saco, onde o rio e o mar se misturam, fica bem no final da Praia do Saco, por isso leva esse nome.


"Nosso" buggy parado na Ponta do Saco.


Em seguida, partimos para mais duas paradas, que seriam na Praia das Dunas, com direito a um banho nas piscinas naturais. Assim é o tour de buggy pela Praia do Saco, que dura cerca de uma hora e meia. No caminho, o bugueiro nos mostrou esta Capela de Nossa Senhora da Boa Viagem com a imagem da santa. Aliás, a Praia do Saco também é chamada de Praia da Boa Viagem. 


E lá fomos nós pelas dunas da Praia do Saco. 


As fotos ficaram prejudicadas por causa da chuva.


Nossa segunda parada foi nesta parte da praia, que, segundo nosso bugueiro, chama-se Praia das Dunas. Fiquei me perguntando depois, "Então, não é mais a Praia do Saco?" Enfim, mas esta questão que me deixou confusa rsrsrs 



Uma coisa que gostei de saber é que a Praia do Saco foi onde os jesuítas desembarcaram pela primeira vez em Sergipe. 



Parada para fotos (a segunda do tour de buggy) na Praia das Dunas, neste mirante.


Mirante da Praia das Dunas.


A terceira e última parada no tour de buggy foi nas piscinas naturais da Praia das Dunas. Veja que outras pessoas também se aventuraram num passeio de buggy debaixo da chuva. 



Sei que quem está na chuva é para se molhar, mas realmente não me animei muito em tirar a saída de praia (que já estava toda molhada mesmo rsrsr) para tomar banho na piscina natural. Fiquei até com frio rsrsrs


Nas piscinas naturais da Praia das Dunas - Sergipe.



Praia das Dunas - Sergipe.



Piscinas naturais - Praia das Dunas - Sergipe.



Piscinas naturais - Praia das Dunas - Sergipe. 



Lagoa dos Tambaquis:

A Lagoa dos Tambaquis também fica no município de Estância, antes de se chegar à Praia do Saco, vindo de Aracaju. É uma atração turística, principalmente para as crianças, mas os adultos podem se divertir também. Portanto, para quem está indo à Praia do Saco, vale uma paradinha lá sim, principalmente se estiver indo por conta própria (carro alugado, tour privativo etc.), já que nem todas as agências de turismo incluem a lagoa no traslado à Praia do Saco (peça pelo descritivo do tour, se fizer questão de parar na Lagoa).

O que a Lagoa dos Tambaquis tem de divertido é exatamente o que o nome do lugar diz: uma lagoa de tambaquis, que são uma espécie de peixe que pode atingir 90 centímetros de comprimento e 13 quilos de peso. Nessa lagoa, você pode alimentá-los com ração comprada no local (um saquinho custa R$2,00) e o resultado será um monte dos gorduchos peixes ao seu redor, querendo comer tudinho. Dá até para alimentá-los "na boquinha". Mas não são só os tambaquis que habitam a lagoa, há também outras espécies de peixes, mas que são bem pequenos. Infelizmente, em períodos de seca, a lagoa seca e muitos peixes morrem.

A Lagoa dos Tambaquis, que é a maior lagoa natural de Sergipe, fica numa propriedade particular com um restaurante e um bar (simples). Para entrar, é preciso pagar uma taxa de R$3,00 por pessoa (valor de janeiro de 2016).



A Lagoa dos Tambaquis fica a cerca de 10 km da Praia do Saco.


Crianças nadando na Lagoa dos Tambaquis. 


Olha aqui os gorduchos tambaquis de olho na comida.


Os tambaquis abrem um bocão, exibem seus dentes, mas só para pegar a comida. Não é preciso ter medo. 


Os maiores tambaquis conseguem colocar a boca para fora da água e você consegue alimentá-los um por um, colocando a ração dentro da boca deles. É divertido!


Alimentando os tambaquis na Lagoa dos Tambaquis.


Lagoa dos Tambaquis, em Estância, Sergipe.


Feliz no meio dos tambaquis!


Dando comida na boca de cada um dos peixes - Lagoa dos Tambaquis.


Olha a carinha deles!



Já de bocas abertas, prontos para comer a ração que você joga (ou dá na "boquinha") para eles! Lagoa dos Tambaquis - Sergipe.


Debaixo de uma cabana, bebendo ou comendo petiscos, os pais podem ficar observando as crianças nadando na Lagoa dos Tambaquis.


O bar na Lagoa dos Tambaquis. As mesas estão vazias porque o dia era de chuva... 

Data desta viagem: Janeiro de 2016 (portanto todos os valores indicados nesta postagem são condizentes com essa época). Para valores atualizados, consulte as agências de turismo.


2 comentários:

Sergipe Turismo disse...

Mto boa postagem sobre a lagoa dos tambaquis

Regina Mendes disse...

Obrigada! Gostei muito de Sergipe.