Delft, Holanda

Delft nos recebendo de coração aberto.


Oude Kerk, a Igreja Antiga, ao fundo.


Os tamancos holandeses fazem sucesso nas lojas de Delft.


Os canais e as bicicletas de Delft me lembraram Amsterdã.


O velotaxi é outra opção de transporte em Delft.


Os passeios de barco em Delft também agradam muito os turistas.


Em frente à Prefeitura de Delft.


Nieuwe Kerk, a Igreja Nova




O centro de compras em Delft.



Encontramos um moinho em Delft.




Delft é a terra da cerâmica azul.



Nas andanças, encontramos essa praça.


Oude Kerk, a Igreja Antiga.




Depois de passarmos rapidamente por Haia, em excursão no ônibus de turismo da Europamundo, que ainda nos levaria à Bruxelas no mesmo dia, fizemos uma parada de aproximadamente duas horas e meia na pequena cidade medieval holandesa chamada Delft. Situada entre Rotterdam e Haia, Delft é um encanto de cidade, tão bem conservada e atraente que até dá pena acreditar que um grande incêndio em 1536 a deixou quase toda destruída.

Delft atrai cada vez mais turistas por causa de seus belos canais do rio Schie (alguns lembram os de Amsterdã), seu artesanato, sua produção de porcelana azul (tradição trazida pelos imigrantes italianos), seus inúmeros restaurantes (almoçamos na cidade e aprovamos a comida) e cafés, sua Prefeitura, sua Igreja Nova e sua Igreja Antiga (ou Igreja Velha). Poderia citar várias outras atrações aqui, como seus museus e sua universidade tecnológica (considerada uma das melhores do mundo), por exemplo, mas vou me limitar a contar somente sobre o que vi, começando pela Prefeitura.

O prédio da Prefeitura (Stadhuis) está localizado no principal ponto de partida para conhecer a cidade, ou seja, na Praça Markt (Praça do Mercado; é a praça central). O prédio foi construído no século XVII e foi este o que mais me chamou a atenção por causa de seu estilo arquitetônico.

Também situada na Praça Markt, está a Igreja Nova (Nieuwe Kerk). Em estilo gótico, a igreja impressiona pelo tamanho de sua torre, a segunda mais alta da Holanda. Apesar do nome, ela é bem antiga, começou a ser construída no século XIV. Tendo disposição, você pode subir a sua torre e desfrutar de uma bela vista da cidade. Infelizmente não tive tempo para realizar esse programa.

A Igreja Velha (Oude Kerk), a mais antiga de Delft, é a da torre inclinada. Foi erguida no século XIII e funciona como centro de culto de protestantes. A torre ostenta um relógio “sustentado” por leões, que são o símbolo do brasão da Holanda. Achei-a tão bonita que ganhou um close de minha máquina fotográfica, podendo ser vista no link http://shw.reginamendes.fotopages.com/19752128/Oude-Kerk-a-Igreja-Antiga.htm

Fora conferir as atrações acima, vale muito a pena entrar em algumas das várias lojinhas de Delft e se engraçar com os tamancos holandeses (muitos expostos do lado de fora das lojas para atrair os turistas) e todas as outras peças inspiradas neles, como as miniaturas e os chaveiros. Os artigos em porcelana azul predominam: pratos, xícaras, vasos, potes, adornos (miniaturas de moinhos e vaquinhas, por exemplo) etc. Me presenteei com uma porcelana que vi sendo vendida em muitas lojas, inclusive nas de Amsterdã: um casal de holandeses beijando-se na boca. A peça pode ser vista na minha coleção de lembranças em My Souvenir Collection, ou clicando aqui http://3.bp.blogspot.com/_eK7TUXZp08o/SKy8Apoa_tI/AAAAAAAAAZA/gLJzwp129a0/s1600-h/AMSTERDAM.JPG

Além de todas as atrações acima que fazem de Delft uma cidade especial, esta também é famosa por ter sido a terra natal de Johannes Vermeer (1632–1675), ilustre pintor do século XVII, considerado um dos melhores da Era de Ouro Holandesa. O artista retratava em suas telas detalhes de sua cidade, como igrejas e casas. Uma de suas obras mais importantes é a Menina com brinco de pérola, que também ficou conhecida como a “Mona Lisa do Norte” ou a “Mona Lisa holandesa”, e pode ser vista na Casa Mauritshuis, em Haia. Vim a conhecer a Menina de Vermeer justamente nesse museu, porém só no cartaz exposto na fachada de seu prédio. Clique no link a seguir e veja se você concorda com a comparação feita com a Mona Lisa de Leonardo da Vinci: http://2.bp.blogspot.com/_eK7TUXZp08o/SLqlsppj1EI/AAAAAAAAA3g/5bBd0ieRoF0/s1600-h/SUC40276.JPG

Ficamos pouco tempo em Delft, mas deu para conhecer bastante coisa a pé. Dizem, inclusive, que esta é a melhor forma de conhecer a cidade. Foi andando de lá para cá que encontramos um moinho, aparentemente desativado. Mas, você também pode percorrer a cidade de bicicleta (a seguir o exemplo de Amsterdã) ou experimentar um velotaxi.
Se você estiver em Amsterdã e tiver tempo para dar uma esticadinha na viagem, vale pegar o trem na Central Station, que o levará em cerca de 1 hora e 30 minutos para Delft. Você não vai se arrepender dessa side trip e gostará de saber que está trazendo em sua bagagem cultural as lembranças da mais importante cidade histórica da Holanda.

2 comentários:

Cesar disse...

Oi Regina Helena, tudo bem?


Meu nome é César Kohl, tenho 22 anos, e moro em Curitiba, Brasil.

Quer dizer que você gosta de viajar? Que ótimo! Eu tenho procurado pessoas com experiências em viagens, porque eu planejo para mim uma vida assim. O meu maior interesse na vida é viajar.

O que você diria sobre isso? Vale a pena? É muito arriscado?

Gostaria muito de saber sua opinião. :)

Até mais,
César.

Regina Helena disse...

Olá, Cesar. Obrigada por sua visita. O que eu mais gosto de fazer na vida é viajar,sim, mas nem sempre é possível porque dependo de tempo e de dinheiro. Vendo as fotos, parece até que o meu trabalho está relacionado a viagens, mas trabalho em outro ramo totalmente diferente. Acho muito interessante você planejar uma vida de viagens para você, pois seus olhos verão coisas lindas, diferentes, você trará recordações inesquecíveis, sem contar a bagagem cultural que você trará, o que é um investimento pessoal que nunca se perde. Agora, se você planeja trabalhar com turismo e se é por isso que quer saber se é arriscado, é melhor perguntar para alguém da área, pois eu não tenho a menor idéia.
Bons planos para você!
Regina Helena