Gramado, RS

Gramado, a estrela da Serra Gaúcha!


Nota de atualização 1: De acordo com uma leitora (obrigada, Sandra!), tiraram os desfiles das ruas. Veja vídeo e comentário aqui.


Nota de atualização 2: Em 2013, Gramado passou a contar com mais uma atração. É o Snowland, o primeiro parque de neve indoor das Américas. 



O pórtico da cidade nos recebendo! O pórtico via Taquara é em estilo normando em homenagem à colonização alemã. O outro pórtico de Gramado, via Nova Petrópolis, é em estilo bávaro. Veja mais abaixo uma foto desse pórtico.


As ruas de Gramado se enfeitam para o Natal. Esta é a Avenida Borges de Medeiros, a principal de Gramado. Ao fundo, a bonita loja de moda masculina Don Juan.


Em nosso primeiro dia de estada em Gramado, fomos almoçar na Casa Di Paolo, que, de acordo com o Guia Quatro Rodas, serve o melhor galeto do Brasil. De entrada, sopa de cappelletti. Depois, o galeto acompanhado de polenta na chapa, saladas, queijo à dorê (uma delícia!) e a massa e molho que você escolher. As galeterias servem em esquema de rodízio (massa e galeto).


Esta é a rua por onde passa o Grande Desfile de Natal e essas são as cadeiras das arquibancadas. As cadeiras dos camarotes ficam mais à frente (veja nas fotos mais abaixo).


Em Gramado, há muitas chocolatarias. Esta é a loja da Lugano. Seus chocolates estão entre os melhores da região.



A Grande Árvore de Natal, situada na rótula principal da cidade (Av. Borges de Medeiros com Av. das Hortênsias), fica ainda mais bonita à noite por causa de seu brilho colorido (veja uma foto mais abaixo). Durante o Natal Luz, todos os dias há o Show de Acendimento das Luzes. Uns dez minutos de efeitos de luz e cor, ao som de música e aplausos, iluminam a árvore e os olhares da plateia. É lindo. Os camarotes do Grande Desfile de Natal ficam no trecho da Av. das Hortênsias ao lado do Hotel Serra Azul (à direita, na foto).


Na Avenida Borges de Medeiros, no centro de Gramado, a Igreja Matriz São Pedro. A igreja, que é feita de pedra, fica em frente à Rua Coberta. O show do Natal Luz, chamado Show Vitrais de Natal, ocorre todos os dias em frente a esta igreja. O show, de uns cinco minutos de duração, é uma projeção de cores na fachada da igreja. Música acompanha os efeitos especiais. Observe as árvores de Natal que decoram a entrada da Igreja São Pedro. À noite, elas ficam iluminadas assim como todos os adornos natalinos das ruas de Gramado.


Interior da Igreja Matriz São Pedro, que ganha iluminação especial no Natal e um lindo presépio. São Pedro é o padroeiro da cidade.



A Rua Coberta tem um telhado metálico que também ganha iluminação especial no Natal. Por ser coberta, a rua é um ótimo refúgio para quando aquela chuva pega de surpresa. Mas lá é bom faça sol, faça chuva. Conta com restaurantes e lojas e, por vezes, shows. Há apresentações de danças folclóricas alemães, por exemplo. No Natal Luz, recebe o show Árvore Cantante (veja foto mais abaixo).


A Grande Árvore de Natal, veja agora, toda iluminada. À noite, a Avenida das Hortênsias fica coberta de luzes e cores.



A ornamentação nas ruas do centro de Gramado dão brilho extra à cidade. Esta é a Avenida Borges de Medeiros. O espírito de Natal presente em cada esquina.



Este lindo relógio, na calçada da Av. Borges de Medeiros, chama a atenção de todos que passam. Tem até um banquinho em frente para você sentar e pedir a quem passa uma foto sua. A "joia" é da loja Black Forest, que vende relógios alemães e presentes finos.



A Avenida das Hortênsias e sua decoração natalina. Nesta noite, caminhamos por ela, a partir da Avenida Borges de Medeiros, e fomos nos deixando surpreender com o que poderíamos encontrar pela frente. Vimos muitas lojas de roupas e de móveis, restaurantes muito convidativos, e mais atrações natalinas, como esta abaixo.


A bonita rena no meio da avenida. E mais adiante, nem esperávamos encontrar um famoso ponto turístico de Gramado, que fica na praça Leopoldo Rosenfeldt. Veja abaixo.



A Praça Leopoldo Rosenfeldt é famosa por causa da Rótula das Bandeiras. Veja ao fundo as bandeiras hasteadas, uma homenagem aos estados brasileiros. Estou ao lado de uma réplica do Kikito, o concorrido troféu do Festival de Cinema de Gramado. A Rótula das Bandeiras fica quase ao lado de outra atração da cidade, que é o Lago Joaquina Rita Bier (veja foto mais abaixo).



Este é o Palácio dos Festivais, onde são exibidos os filmes participantes do Festival de Cinema de Gramado. Eu estou na fila, no meio dessa gente toda, para trocar os ingressos do Grande Desfile de Natal, que havia sido cancelado no dia anterior devido à chuva. O Palácio dos Festivais fica em frente à Rua Coberta, na Av. Borges de Medeiros. Observe, à direita, a Ramona Jardineira que leva turistas para passeio no centro de Gramado.



Praça Major Nicoletti, na Av. Borges de Medeiros, ao lado da Rua Coberta e em frente à Igreja Matriz São Pedro. Observe que há um coreto no meio da praça, onde você pode comprar peças de artesanato e pinturas. A praça é uma graça; até dá rima. À direita, dentro da praça, fica a casa do Centro de Informações Turísticas (veja foto mais abaixo). Aqui não faltam bancos para aquele descanso gostoso no meio da tarde e da caminhada.



O que mais chama a atenção na Praça Major Nicoletti é esta fonte decorada com jardins. Que coisa mais linda! A casa ao lado é do Centro de Informações Turísticas.



A Praça Major Nicoletti é cercada de pequenas galerias e lojas que vendem, entre outras coisas, roupas e os famosos chocolates gramadenses. Veja, ao fundo, algumas dessas lojas. Todas seguem esse estilo de arquitetura. Na praça, há também cafeterias.



Que tal um passeio de jardineira que passa pelo centro de Gramado a partir do Lago Negro? Gramado oferece diferentes tipos de jardineira.



A Igreja do Relógio é uma igreja evangélica. Este cartão-postal de Gramado você tem de ver ao vivo no verão porque as hortênsias que cercam a igreja são demais, tanto na quantidade quanto na beleza.



Outra atração na Avenida das Hortênsias, mas na área gastronômica, é este restaurante aqui. É o Le Chalet, para os amantes de fondue. Só de olhar a casa, já dá vontade de entrar.


Este é um dos lugares em Gramado que eu mais gostei: o Lago Negro. E não foi exatamente por causa do passeio nos pedalinhos de cisnes. O que me atraiu foram as hortênsias... Ah, sempre elas! Confesso, eu voltei apaixonada por elas. E é ao redor deste lago onde você vai encontrá-las em grande abundância.



Vista do Lago Negro, que nem parece que é artificial; nasceu depois de um grande incêndio que destruiu a mata desta região. Os pinheiros e hortênsias que cercam o lago complementam a beleza deste cartão-postal. Muitas mudas da Floresta Negra, da Alemanha, foram plantadas aqui depois do incêndio. Entendeu por que este lago é chamado de Lago Negro?


São vinte minutos de passeio nos pedalinhos. É possível fazer também um passeio de caravela no Lago Negro. A caravela dá para dois adultos e duas crianças.


Depois de pedalarmos no lago, fomos conhecer a área verde que o cerca neste carrinho elétrico. Mas o melhor mesmo é percorrer o caminho a pé.


Os patinhos às margens do Lago Negro.


Dê só uma espiada nos jardins que margeiam o Lago Negro. O azul das hortênsias no verão enche de cor a orla do lago. No inverno, ao invés das hortênsias, há as azaleias. Eu sei que as azaleias também são lindas, mas eu tenho uma atração especial por flores azuis!


Dá até para brincar de esconderijo no meio das hortênsias.



E olha que muitas hortênsias estavam queimadas por causa do calor que fazia na cidade. Fomos em janeiro, no verão, e pegamos dias quentes, de muito sol. Mommy também amou as hortênsias.


Descobrimos que este é um dos cantinhos preferidos dos casais para tirar fotos junto ao Lago Negro. Cenário bonito, não? O Lago Negro é o lugar mais romântico de Gramado.



Depois da visita ao Lago Negro, fomos direto ao Mini Mundo. É pertinho, mas fomos de táxi. Gramado é uma cidade cheia de ruas íngremes, o que pode tornar sua caminhada um tanto puxada.



Vista da cidade em miniatura do Mini Mundo. Aqui você encontra réplicas de castelos, ferrovias, aeroporto de Bariloche e muito mais!



O Mini Mundo tem muitas réplicas, mas o parque é relativamente pequeno.



Depois de visitarmos o Lago Negro e o Mini Mundo, fomos almoçar na Rua Coberta. Sempre uma boa pedida.


A Parada de Natal invadindo a Av. Borges de Medeiros e trazendo alegria para adultos e crianças. A parada acontecia quase todos os dias e sempre às 16:00. É preciso pegar na internet o horário de toda a programação do Natal Luz.


Gramado atrai muitas famílias com crianças durante o Natal Luz.



Os bancos de Gramado nem parecem bancos. Este é o Bradesco, exibindo decoração natalina feita somente de garrafas pet. Ficou linda.


O Hotel Serra Azul é super bem localizado no centro de Gramado.



Saímos a pé do nosso hotel para conhecermos o pórtico via Nova Petrópolis (fica a uns dez minutinhos do Hotel Alpestre) e nos deparamos com mais milhares de hortênsias pelo caminho.



Esta foto foi tirada quase ao lado do pórtico via Nova Petrópolis, mas pela foto não se tem ideia da extensão de hortênsias espalhadas no solo deste terreno. As flores vão até o topo do morro. Eu fiquei boquiaberta. Consegue enxergar uma mancha azul no canto superior direito da foto? São elas!




Caminhando, então, chegamos ao pórtico via Nova Petrópolis. Foi construído em estilo bávaro.



O Lago Joaquina Rita Bier (próximo à Rótula das Bandeiras e ao Parque Mini Mundo) serve de palco para os cantores líricos do show Nativitaten, uma ópera a céu aberto. Fora a música, o espetáculo reúne balé de águas dos chafarizes, chamas de fogo saindo no meio do lago, muitos efeitos de luz e muitos fogos de artifício. Pois o Nativitaten é uma combinação de ópera e show pirotécnico. Para muitos, é o melhor espetáculo do Natal Luz. Mas é muito mais interessante para adultos. Para crianças, pode ser chato. Ficamos na Arquibancada C e vimos tudo muito bem. A plateia fica sentada ao redor do lago. Mais ou menos no meio do show, a plateia acende velas distribuídas pela equipe do Nativitaten, o que dá um efeito de luz muito bonito na noite. Compre seus ingressos com antecedência, pois o espetáculo lota. No final deste post, não deixe de ver um pequeno vídeo que gravamos do Nativitaten.



O Hollywood Dream Cars é o Museu do Automóvel em Gramado. Lá você encontra uma exposição de carros antigos. Fica na Av. das Hortênsias, 4151, na Rodovia Gramado/Canela.



No Museu do Automóvel, as Harley Davidsons também marcam presença. Ah, eu amo motos!



A exposição de carros é muito interessante. Você pode entrar em algum deles e tirar uma foto. Mas a loja cobra por isso: 15 reais a foto (janeiro de 2011).



São carros super bem conservados (há muitos Cadillacs) desde a década de 30 que ficam expostos em dois pisos. E Elvis Presley está por toda a parte em quadros e televisores.



Se eu pudesse levar para casa um dos carros, eu escolheria este!



Esta casa é da Bela Vista Café Colonial, na Av. das Hortênsias, 4665 (perto do Parque Mundo Encantado). A tradicional refeição da Serra Gaúcha oferece muitas guloseimas: pães, bolos, geleias coloniais, salgados diversos, tortas... Gente, tem de ter muita fome para tanta comida. Apesar de ser um programa bem turístico da Serra Gaúcha, não fiz questão de experimentar. O Bela Vista oferece transporte gratuito a partir de seu hotel em Gramado, assim como vários outros estabelecimentos conhecidos. Informe-se sobre o horário do serviço.


E perto do Bela Vista da foto acima, você encontra outro restaurante para também pecar pela gula. É o famoso Galeto Mamma Mia. Oferece transporte gratuito também.



O Parque Mundo Encantado, na Av. das Hortênsias 2400, é um parque de miniaturas em movimento para conhecer a história de Gramado.


Réplica de Jerusalém na época de Cristo, no Parque Mundo Encantado. Ao fundo, à direita, Cristo crucificado (clique na foto para ampliá-la).



A vida dos imigrantes italianos e alemães é contada através destas miniaturas no Mundo Encantado. Mas os monitores do parque ajudam a contar a história.


As miniaturas são ricas em detalhes e, como se movimentam, ficam ainda mais interessantes. Esta é a réplica da marcenaria manual.



A produção do vinho na época dos imigrantes mostrada nesta miniatura, no Mundo Encantado.



Esta é a Praça da Neve, na Aldeia do Papai Noel (Parque Knorr). A neve, feita de sabão, cai sobre os visitantes e, apesar da lambança, não há quem não goste.





Chegamos à Casa do Papai Noel no trenzinho do Parque Knorr (tem esse nome porque foi criado por Oscar Knorr). Uma casa bávara. Vamos adentrá-la?



É aqui o quarto do Bom Velhinho. Este é só um dos cômodos de sua casa. Veja mais no link de fotos de Gramado, no final deste post.



A Aldeia do Papai Noel é bem grande e conta com trilhas ecológicas. É mais interessante para crianças, pois tudo lá está ligado ao Papai Noel. No parque, há também o Museu dos Brinquedos, a Fábrica de Brinquedos (veja fotos abaixo) e os Chalés dos Ursos. Mas a atração que eu mais queria ver lá eram as renas vivas. O guia do trenzinho disse que havia duas no estábulo. Mas só conseguimos ver uma, bem ao longe, pois estavam recolhidas. Parece até que sabiam que dali a uns trinta minutos iria cair a maior chuva.



Este é o Museu dos Brinquedos, no Parque Knorr, onde ficam expostos muitos brinquedos, especialmente bonecas. Segundo o parque, são de diferentes épocas e origens e foram doados por visitantes do Brasil.



E esta é a Fábrica de Brinquedos. Logo na entrada, uma anotação chama a nossa atenção: é a contagem regressiva de noites para o Natal. Achei engraçado, pois ainda estávamos no dia 8 de janeiro, mas a contagem regressiva já estava lá. Dentro da fábrica, há vários tipos de bonecos eletrônicos e um urso gigante. Também há uma lanchonete. Depois de entrar nesta fábrica, não deixe de passar no mirante para ver o Belvedere Vale do Quilombo. A varanda com vista para o vale fica do lado da fábrica. Mas você pode preferir ver o Vale do Quilombo embarcando no Monorail do parque!




O bonito Hotel Casa da Montanha chama a atenção de quem passa na Av. Borges de Medeiros.


As lojas de artigos para presente ficam belamente decoradas na época do Natal.



A Parada de Natal mais uma vez encantando os visitantes. O desfile é na Av. Borges de Medeiros, onde tudo acontece.




Os visitantes acenando para os artistas deste espetáculo.



Aqueles que não compram ingressos têm de chegar cedo para pegar um bom lugar nas calçadas para ver o Grande Desfile de Natal passar pela Avenida das Hortênsias. Repare como as pessoas ficam espremidas. E o show ainda nem começou.



Nós ficamos no Camarote A 35 e vimos tudo de pertinho e confortavelmente. No show, há carros alegóricos, patinadores e dançarinos.



Este público que se vê sentado aí na foto é do camarote. Mas quem senta na arquibancada também vê o desfile passar pertinho.


O Grande Desfile de Natal é muito bem organizado e é mais para crianças. Mas os pais, tios, avôs, etc. se amarram também. Fotos com flash não são permitidas para não atrapalhar a concentração dos artistas. Esses bonecos são uns dos mais simpáticos do desfile. Repare que eles, assim como vários outros integrantes, ficam iluminados.



A "neve" também apareceu por aqui.



Este carro alegórico trouxe as renas.



Enfim, a chegada do Papai Noel em seu trenó! Veja mais fotos do Grande Desfile de Natal clicando no link de Gramado, no final deste post.



E quando o desfile acaba, começa uma outra diversão para a plateia: deixar-se molhar pelos "floquinhos de neve".


Capa para não se molhar na chuva nem com a neve de sabão do Grande Desfile de Natal. Muitos hotéis vendem essa capa e vendedores ambulantes também (no dia do desfile). Veja também como são as cadeiras do camarote do Grande Desfile.


Dançarinos tirando a plateia para dançar na Rua Coberta. Aqui é o point!



As lojas de Gramado também se vestem de espírito natalino. Esta parece uma caixa de presente gigante.


Que tal um passeio de limusine? O transporte é oferecido pelo restaurante Portugalia, mas é preciso agendá-lo. Muito chique, não? Não só o passeio, mas o restaurante também!



As ruas no centro de Gramado são acolhedoras, sempre com muitos bancos. São um convite para sentir-se em casa.


Esta é a entrada do Palácio dos Festivais. Na foto, réplica do Kikito, "deus do bom humor", troféu que premia os vencedores do Festival de Cinema de Gramado. Observe o cercado vermelho. Não é permitida a visitação do palácio além deste ponto. A entrada é liberada somente nos horários dos cinemas e em alguns eventos. Fiquei um pouco frustrada...



As mãos das celebridades na calçada da fama de Gramado. É a calçada do Palácio dos Festivais. Esta placa leva a mão de Antônio Fagundes.



Em frente à Igreja São Pedro, curtindo o penúltimo dia em Gramado.



Este é o Centro de Informações Turísticas de Gramado, que é uma graça. A casa conta com ótimos banheiros públicos. E não é preciso pagar para usá-los.



Praça das Comunicações, onde acontecem vários eventos da cidade, como a Festa da Colônia e a Feira do Livro. Hoje, não rolou nada, nem a feira de produtos típicos. Na praça, encontra-se também a Casa do Colono, bom lugar para comprar produtos típicos do interior de Gramado, como salame, queijos, geleias e vinhos.


Perto da Praça das Comunicações, fica a estação rodoviária de Gramado, na Av. Borges de Medeiros.



Gramado, cidade cunhada para o turismo, é rica em arquitetura europeia e auracárias.



Prefeitura Municipal de Gramado.


A Árvore Cantante garante o espetáculo na Rua Coberta. Um coro é acompanhado por bailarinas de sapateado.



Os cantores ficam posicionados de forma que pareçam uma grande árvore de Natal. A Árvore Cantante é apenas um dos inúmeros eventos do Natal Luz. Este é de graça.



Chocolate Gramadense. A loja, na Av. Borges de Medeiros, atrai com sua vitrine muito bem montada.




Ficamos hospedados no Hotel Alpestre. O hotel é muito bom e confortável, mas fica um pouco distante do centro. De carro, é rapidinho, uns cinco minutinhos. Mas a pé pode cansar um pouco.



Por isso, o hotel oferece transporte gratuito para seus hóspedes até o centro de Gramado três vezes por dia. O veículo da foto foi o utilizado para esse serviço.



Esta é a varanda do nosso quarto do Hotel Alpestre. Vista para as piscinas.



São duas piscinas externas. Uma para adultos e outra para crianças.




Preferi esta aqui, que tem a água quentinha. A piscina térmica coberta do Hotel Alpestre é um de seus melhores atrativos. Tivemos sorte porque no dia em que resolvemos experimentá-la, lá estava ela inteirinha só para a gente!


**************************************************


Gramado é o destino mais procurado da Serra Gaúcha. A cidade é concorrida não somente porque é romântica, encantadora, organizada, limpa e segura como também porque pode ser muito bem aproveitada o ano inteiro. Porém, ela atrai mais no inverno devido ao clima europeu e ao Festival de Cinema de Gramado, que é o maior evento cinematográfico do Brasil, responsável pela presença de inúmeras celebridades na região nessa época. Eu preferi conhecer Gramado em janeiro, em pleno verão, pelos seguintes motivos: a cidade não está tão cheia, é a época das hortênsias, ainda há toda a programação do Natal Luz (o maior evento de Natal no Brasil) e a decoração natalina continua enchendo as ruas de magia.

Não é só o clima em Gramado que é europeu; a sua arquitetura também. Por isso, a sensação de que se está em outro país pode acontecer. A cidade praticamente vive para o turismo e, por isso, cultiva o seu lado europeu e toda a fama que ganha com esse perfil. E, para completar a sua identidade, há o seu outro lado, aquele todo romântico, fazendo com que seja o destino de muitos casais, em lua de mel ou não. Com suas hortênsias no verão ou as azaleias no inverno, não há quem não se renda a seu charme e volte para casa com a imagem dessas flores na lembrança, que serviram muitas vezes de moldura para fotos de recordação.

Gramado é para curtir acompanhado, tomando um bom vinho à lareira e saboreando um fondue, por exemplo. Para adoçar o paladar, seus deliciosos chocolates. Mas a cidade gaúcha também é para crianças e para se sentir criança. Você, adulto, percebe isso quando é abraçado por um gigante Papai Noel. E também é para artistas e fãs. Enfim, é só escolher a época que você considera a melhor para conhecer Gramado. Para cada uma, um evento. Além do Natal Luz e do Festival de Cinema, há a Festa da Colônia, o Festival Mundial de Publicidade e o Festival de Turismo. A Páscoa também é muito comemorada na cidade e, portanto, ela se enfeita de acordo.

A Avenida Borges de Medeiros e a Avenida das Hortênsias são as principais vias de Gramado. É por elas que os visitantes caminham entre várias paradas para conhecer os pontos turísticos e entrar nas lojas, seja para comprar chocolates, artigos de decoração (cristais, por exemplo), malhas, casacos, calçados e, inclusive, móveis (a maioria em estilo colonial). Se o cansaço bate, bancos é o que não falta pelas avenidas. Se além do cansaço, é a fome que bate, há ótimos restaurantes (nas imediações também). Só é preciso ficar atento ao horário de funcionamento dos restaurantes, que costumam ficar abertos para almoço só até 14:30. Depois, reabrem a partir das 19:00 para a janta. Muitos restaurantes buscam no hotel; é bom se informar para você não perder seu dinheiro indo de táxi à toa.

Pequena, porém, encantadora e acolhedora, a cidade de Gramado merece ser descoberta com calma. Mas quem tem pressa, consegue conhecer os principais pontos turísticos em dois dias. Por isso, o turista que viaja à Serra Gaúcha geralmente explora além de Gramado, que, aliás, é um além bem próximo. As cidades vizinhas de Canela e Nova Petrópolis (que formam junto com Gramado a Região das Hortênsias) ficam pertinho e oferecem atrações interessantes, principalmente a primeira. As cidades de Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa, que formam o Vale dos Vinhedos, também fazem parte da Serra Gaúcha e atraem muitos visitantes. O tour Uva e Vinho, com Maria fumaça, é muito famoso nessa região dos vinhedos.

Já deu para ver que não falta o que fazer na Serra Gaúcha, sendo que ter o que não fazer lá já é boa coisa, pois a região também foi feita para o descanso. Ficamos seis dias em Gramado e foi o suficiente para fazermos tudo o que queríamos. Só não deu para visitarmos o Vale dos Vinhedos porque já estava mesmo fora de nossa programação. Então, digamos, para quem quer conhecer bem a Serra Gaúcha sem correria, um período de sete dias está ótimo.

Eu adorei ter visitado Gramado, uma joia do estado do Rio Grande do Sul cravada de hortênsias!


Pontos turísticos:

Gramado tem pontos turísticos para não deixar ninguém parado. Além daqueles que mostrei nas fotos, há ainda o Gramadozoo, o Museu do Perfume, o Museu do Chocolate, o Museu de Cera Dreamland, o Museu Medieval, o kartódromo e a fábrica Cristais de Gramado (acompanhe ao vivo a fabricação de peças), o Snowland.


Natal Luz:

Natal Luz de Gramado é um grande evento de Natal que reúne vários tipos de shows, distribuídos em determinados dias e horários, que costumam começar no início de novembro e terminar em meados de janeiro. Seus quatro maiores espetáculos são o Nativitaten, o Grande Desfile de Natal, a Fantástica Fábrica de Noel e a Arca de Noel. São espetáculos muito bonitos, sendo o Nativitaten mais interessante para adultos, pois se trata de uma ópera. Para quem gosta, é imperdível. Choveu muito no dia que tínhamos programado para assistir ao Grande Desfile de Natal. Quando chegamos lá, já quase 21:00 (início do show), anunciaram que o desfile estava sendo cancelado. Eles só cancelam em cima da hora, pois a chuva pode repentinamente parar ou ficar fraquinha. Mas se você passar por essa situação, não se preocupe com o dinheiro gasto. No dia seguinte, na Bilheteria do Palácio dos Festivais, eles devolvem o dinheiro ou trocam por ingressos para o próximo dia do show. O problema é ter de enfrentar a fila no palácio no dia seguinte. Os ingressos devem ser comprados com antecedência, principalmente se forem para dezembro, quando a cidade fica cheia. Acesse o site do Natal Luz de Gramado para a compra. Os lugares não são numerados; a marcação dos assentos é por ordem de chegada. Não é permitido tirar fotos dos espetáculos noturnos com flash, pois podem atrapalhar a concentração da equipe.

Assistimos ao Grande Desfile de Natal e ao Nativitaten. O primeiro acontece na Av. das Hortênsias. Ficamos no camarote A35 e foi uma ótima escolha. O ingresso custou R$50,00. O segundo é realizado no Lago Joaquina Rita Bier. Pagamos R$40,00 pela arquibancada, pois já não havia mais assentos de camarote disponíveis. Ficamos no setor C. A dica é chegar com antecedência para não pegar os piores lugares na arquibancada porque o espetáculo enche. O camarote para o Nativitaten parece ser bem melhor do que a arquibancada, diferentemente do camarote do Grande Desfile de Natal, o qual não faz muita diferença se comparado à arquibancada.

Tours e programas noturnos clássicos:

São muito comuns os tours de compras em Gramado e Canela em lojas de fábricas de couro, malhas, chocolates e cristais. Há programas noturnos turísticos bem famosos também: a Noite Suíça (música ao vivo e fondue), a Noite Alemã em Nova Petrópolis (buffet com comidas típicas e show de danças típicas alemãs), a Noite Gaúcha (tradicional churrasco gaúcho e show de dança com grupo folclórico) e o Café Colonial (farto buffet com receitas das cozinhas alemã e italiana).

Gastronomia:

A oferta gastronômica em Gramado é de deixar qualquer um com água na boca. As galeterias, por exemplo, são famosas. Servem um delicioso galeto e massas em esquema de rodízio. Experimentamos a comida da Casa Di Paolo (R$42,00 por pessoa), que serve o melhor galeto do Brasil de acordo com o Guia Quatro Rodas. Oferece transfer gratuito, isto é, vai apanhá-lo e deixá-lo no seu hotel em Gramado. Outras galeterias recomendadas são Galeto Itália, Galeto Mamma Mia, Galeto Nonna Tena e Galeto Nonno Mio.

Para quem não quer dispensar o típico churrasco gaúcho, a churrascaria mais recomendada pelos gramadenses é a Zelão (R$55,00 por pessoa), na Av. das Hortênsias, 4919. Para quem prefere o churrasco acompanhado de show com dança típica, então, o lugar certo é a Churrascaria Garfo e Bombacha, em Canela. Na entrada, os visitantes aprendem a tomar um chimarrão. Mas informe-se sobre os dias de apresentação do show na recepção do seu hotel. Por não ter consultado, perdi o programa turístico.

Se a pedida do dia for cozinha portuguesa, vá sem erro ao Restaurante Portugalia, na Av. Borges de Medeiros, 3075. Aproveite e agende um passeio de limusine com eles. Se a preferência for fondues, confira o Belle Du Vallais, visto que foi indicado pelo Guia Quatro Rodas. Em relação à comida por quilo, você vai encontrar algumas opções, como o Ratatouille, na Praça Major Nicoletti, e o Di Pietro (à noite serve buffet de sopas e grelhados e oferece transporte gratuito para o jantar), ao lado da Igreja São Pedro. Foram esses os restaurantes com comida por quilo que experimentamos e os achamos bons. Agora, se você quer pagar pouco, pergunte aos gramadenses onde eles costumam almoçar. O motorista que nos levou a Canela nos deixou num restaurante um pouco afastado do centrinho turístico onde pagamos cerca de R$13,00 (preço fixo por pessoa) para comermos à vontade. O buffet de comida caseira incluía churrasco e ainda dava direito à sobremesa! O restaurante também oferecia comida por quilo. É claro que o lugar é simples, mas nós gostamos.

Uma opção gastronômica super turística são os cafés coloniais. Você pode experimentar o Bela Vista (R$45,00 por pessoa), que oferece um buffet com tantos quitutes que só dá para encarar com muita fome. São geleias, pães, tortas, salgados, etc. e tal. Vale a pena entrar no site e dar uma olhada no tipo de buffet que servem para ver se faz a sua cabeça, ou melhor, o seu estômago.

Outras opções de restaurantes recomendadas por guias de viagem são o Le Monde, que é requintado, e o Gasthof Edelweiss, que fica nos arredores do Lago Negro. Já o Pasteleiro, que pode passar despercebido, é para quem gosta de pastéis. Como é o nosso caso, é claro que quisemos experimentá-lo. E adoramos. São tantas variedades de sabores doces e salgados (cada sabor leva o nome de um filme) que você vai gastar um tempinho até escolher. Que tal um Thelma e Louise? Não faz seu gênero? E um Dona Flor e Seus Dois Maridos? O único problema é que o Pasteleiro vive cheio. Sinal de que é bom.

Enfim, com tantas opções, peça na recepção de seu hotel um mapa turístico com a relação de restaurantes e cozinhas (internacional, alemã, italiana, suíça, alemã, etc.) e faça a sua escolha. E não se esqueça de perguntar se os restaurantes que você pretende conferir oferecem serviço de transfer (ida e volta) gratuito. Muitos oferecem! Ah, quase me esqueci da sobremesa! Que tal procurar por ela em uma das inúmeras chocolatarias espalhadas pelas ruas de Gramado? Lugano, Prawer... Estes são apenas dois (ótimos) exemplos. A que mais chamou a nossa atenção foi a Prawer. Suas mesinhas na varanda viviam lotadas com pessoas se lambuzando com sorvetes, que são de fabricação própria.

Hospedagem:

A rede hoteleira em Gramado é grande e muito boa. Os hotéis localizados mais próximos das principais atrações turísticas (Igreja São Pedro, Palácio dos Festivais, etc.) são uma ótima opção para quem não gosta de caminhar muito. Entretanto, os hotéis mais afastados ficam a poucos minutos de táxi. Nós ficamos no Hotel Alpestre, um pouco afastado do centro turístico. Esse é o único ponto negativo do hotel, mas o atendimento é muito bom, a estrutura é ótima e os quartos são confortáveis e limpos. O trajeto até o centro pode ser feito de táxi (o hotel chama) em 5 minutos e a um custo de 12 reais em média (um só trajeto). Dá para ir a pé, mas acho a caminhada puxada; nem cheguei a tentar. Para maior comodidade de seus hóspedes, o Hotel Alpestre oferece transporte (uma mini van) gratuito ao centro (a volta é preciso agendar) em três horários: 10:00, 14:00 e 17:00. Acho pouco, mas é melhor do que nada. O problema é que você tem que estar na entrada do hotel pontualmente nesses horários; se você passar um minutinho e o transporte já tiver saído, já era. O hotel tem piscinas (adulto e infantil) externas, sala com lareira, sala de recreação infantil e monitores, piscina térmica, coffee shop e outras facilidades. Fica num local super tranquilo. Perto há um supermercado ao qual se chega a pé.

Os hotéis que me chamaram a atenção durante meus passeios pelo centro de Gramado foram o Serra Azul, pelo seu tamanho e localização (tem quartos com vista para a Avenida das Hortênsias, ou seja, “camarote” para o Grande Desfile de Natal) e a Casa da Montanha, pela bela entrada. Frequentemente vejo a Casa da Montanha citada em revistas de turismo e apontada como um dos hotéis de requinte. Outros hotéis bem cotados por revistas e agências de turismo são: Hotel Serrano (é da CVC e considerado um dos melhores), Pousada Le Château (a natureza enfeitiça ainda mais o clima romântico), Ritta Höppner (os hóspedes têm acesso gratuito ao Mini Mundo e podem reservar quarto com piscina térmica, wow!) e o St. Hubertus (faz parte da Associação de Hotéis Roteiros de Charme). Um hotel bem mais econômico e que costuma ter boas referências é o Hotel Estrelas da Serra. Se o visitante preferir um SPA, o conceituadíssimo Kurotel o espera.

Notas:

- Não deixe de visitar Canela e Nova Petrópolis, cidades vizinhas de Gramado. Você pode contratar um tour privado ou em grupo. Como gostamos mais da primeira alternativa, embora seja mais cara, entramos em contato com a Jusheph Turismo, que oferece transporte executivo. Gostamos do serviço dessa empresa e recomendamos. Veja mais informações na postagem Nova Petrópolis. Para pesquisar preços em relação a agências de turismo em Gramado, entre em contato com algumas que se encontram no site oficial de Gramado.

- Não há voo direto para Gramado. Você pode chegar à cidade de ônibus, carro alugado ou transfer. Escolhemos o transfer (privado). O trajeto aeroporto PO–Gramado–PO nos custou R$400,00 com a Jusheph Turismo.

- O trajeto do aeroporto de Porto Alegre até Gramado dura em média 1 hora e 40 minutos de carro. São 135 km que separam as duas cidades.

- Os vinhos da Serra Gaúcha são considerados os melhores do Brasil.

- O Museu do Automóvel fica um pouco longe do centrinho turístico, mas de carro dá uns cinco minutos. Chegamos lá de táxi. Depois de visitar o museu, resolvemos ir caminhando até o Parque Mundo Encantado e, em seguida, até o Parque Knorr. O nosso mapa dava a impressão que as três atrações eram bem próximas e que podíamos chegar a elas a pé. De fato, são próximas, mas para ir caminhando, é outra coisa. Do museu até o Mundo Encantado não há muito problema, mas até o Parque Knorr, aí, a história é outra. Quando pensávamos que já estávamos na entrada do parque, nos deparamos com uma ladeira e a Aldeia do Papai Noel fica justamente no topo! Se eu fosse você, pegaria um táxi. Uma dica boa: o Parque Mundo Encantado busca o visitante gratuitamente no seu hotel.

- Ande sempre com alguns cartõezinhos de taxistas no bolso. Quando estávamos saindo do Parque Knorr, caiu a maior chuva! Mas liguei para um taxista do meu celular e rapidinho ele chegou. E muitos ficaram lá, à porta do parque, esperando a chuva passar porque não havia táxis.

Vou ficando por aqui, mas não sem antes deixar uma frase de James Dean que eu li num quadro com sua foto no banheiro do Museu do Automóvel, em Gramado. Achei muito interessante e resume bem o que acho da vida. A frase diz: “Dream as if you’ll live forever, live as if you’ll die today” (Sonhe como se você fosse viver para sempre, viva como se você fosse morrer amanhã).

Data desta viagem: janeiro de 2011 (valores de acordo com esse período)

Se tiver interesse, veja os seguintes vídeos que gravei:

- Lago Negro:


- Show Nativitaten:


- Grande Desfile de Natal:


- Show de Acendimento das Luzes:


- Show Simplesmente Natal:


- Árvore Cantante:



- Parada de Natal:


- Gramado iluminado no Natal:



Para ver mais fotos de Gramado, clique em:


Para ver mais fotos do Hotel Alpestre, clique em:


26 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns você fez um verdadeiro diario da viagem, e me deu grandes dicas pois pretendo ir no fim do ano com minha familia para lá, então me ajudou bastante.
se puder me envie o nome do restaurante em que almoçou em canela (e mail: tho1@itelefonica.com.br) aquele que o motorista te recomendou, valeu todas as dicas e espero que aproveitar tanto quanto você.

Patricia - São Paulo

Regina Helena disse...

Oi, Patrícia! Desculpe pela demora em responder, pois eu estava viajando e só retornei hoje. O nome desse restaurante eu infelizmente não anotei e nem lembro. Mas é só perguntar ao recepcionista de seu hotel onde se pode almoçar em restaurantes não turísticos. Fico feliz por ter podido ajudar. Tenho a certeza de que você vai adorar Gramado! Beijo.

Regina Helena disse...

Patricia, um detalhe: esse restaurante mais barato é em Gramado e não em Canela, ok? Beijo.

Fernanda Antunes disse...

Regina,
Adorei o post sobre sua viagem à Gramado, ficou excelente e super detalhado. Na verdade, me ajudou bastante pois irei agora em dezembro para lá. Gostaria de tirar uma dúvida com vc: em relação ao grande Desfile de Natal, quando vou comprar os ingressos no site só há opções de arquibancadas e camarotes. Não tem opção de cadeiras não? Vi que você ficou em camarote... Vc poderia tirar essa minha dúvida? É que vou com meu filho de 1 ano e queria uma opção confortável. beijos!
Fernanda

Regina Helena disse...

Oi, Fernanda! Só há as opções de arquibancada e camarote mesmo. As cadeiras do camarote são melhores. São de plástico, mas são confortáveis. Não se preocupe, seu filho vai ficar bem. Achei tudo tranquilo no Grande Desfile. O Nativitaten é que é bem movimentado. No link abaixo, eu mostro mais fotos. No final, há duas fotos das cadeiras do camarote do Grande Desfile para você ver como são. Boa viagem! Gramado é uma cidade linda! Beijo.

https://picasaweb.google.com/103963101206953889679/GRAMADORS#

Mari Medeiros disse...

Voces sao umas fofas!!! Lindas!!! Deus abencoe pelo carinho em postar boas informacoes de um local tao maravilhoso!

Vera Frazão disse...

Regina, adorei seus posts, serão minhas referências. Nós vamos no reveillon, com crianças. Vc sugere alguma apresentação especifica do Natal Luz para a noite da virada? Ou algum lugar específico? Outra duvida ... dá pra ir a pe do Lago Joaquina Riita Bier até a Borges de Medeiros? Ou é necessário ter carro? Pergunto porque a ideia é ficarmos hoispedados em frente ao lago, num hotel chamado Laghetto, e não pretendemos alugar carro. Aguardo seus comentários, muito obrigada! Vera.

Regina Helena disse...

Estou vendo que vai ser uma virada de ano inesquecível, Vera! Olha, o espetáculo mais bonito para a virada do ano é o Nativitaten, inclusive por causa do espetáculo da queima de fogos. Mas é um programa mais para adulto porque é uma ópera. Porém, é um espetáculo tão bonito que acho que crianças também podem gostar, dependendo da idade. Pois as águas dançantes e os fogos de artifício são um show à parte. Mas se suas crianças têm medo de show pirotécnico, o Nativitaten não vai agradar. Enfim, tudo depende do gosto e idade das crianças.

O Lago Joaquina Rita Bier é ao lado da Av. Borges de Medeiros e o seu hotel é na Borges de Medeiros, então não se preocupe quanto à distância. Dá para ir a vários pontos turísticos a pé. Alguns mais distantes, como o Parque Mundo Encantado, você vai precisar de um táxi. Mas você leva uns 5 a 10 minutos para chegar de táxi a um ponto turístico mais longe. E, antes de pedir um táxi, não se esqueça de perguntar na recepção do seu hotel se o lugar para onde você quer ir (seja um ponto turístico ou um restaurante) não oferece serviço gratuito de traslado. O Parque Mundo Encantado, por exemplo, oferece (pelo menos, oferecia) transporte gratuito. Qualquer outra dúvida, me pergunte. Beijocas para a família e boa viagem!

Helô disse...

Olá, Regina Helena!!!
Gostaria de saber quantos dias vocês ficaram em Gramado para visitar todos esses lugares?
Vou passar uma semana em novembro e gostaria, se fosse possível, que vc me informasse quantos passeios á pra fazer em um dia?
Obrigada!!!
Heloísa Helena

Regina Helena disse...

Olá, Helô! Gramado é uma cidade pequena, então você consegue fazer vários passeios em um dia (visitar parques e o centro, por exemplo). Agora, se você for para outra cidade como Canela e Nova Petrópolis, você precisa de, pelo menos, meio dia em cada uma dessas cidades. Se você vai passar uma semana em Gramado, fica tranquila que dá para fazer muitas coisas. Espero ter ajudado. Boa viagem!

Regina Helena disse...

Helô, esqueci de dizer que ficamos seis dias em Gramado.

Maurício Miranda disse...

Parabéns pelo blog, encontrei tudo que eu precisava!
Muito obrigado!

Tatiana disse...

Regina,

Parabéns!!! O seu post é bem completo, é um convite à Gramado...
Muito obrigada pela graaannnddeeeee ajuda que você nos ofereceu...
Tenho uma dúvida... Vamos ao Nativitaten e ao Grande Desfile... Vc acha que vale a pena comprar os ingressos para a "Fábrica"? Ou ficará muito repetitivo? Iremos eu e o meu marido (sem crianças)...
Mais uma vez: muito obrigada!
Ótimas vibrações... Bjos no coração :-)!

Regina Helena disse...

Maurício, obrigada pelo comentário. Fico muito feliz em saber que ajudei. Que você faça uma ótima viagem! Tenho ótimas recordações de Gramado. Um grande abraço.

Regina Helena disse...

Tatiana, que bom que minha postagem foi de grande ajuda para você, pois escrevo com muito carinho e sempre procurando mencionar coisas que podem ser importantes para o turista. Eu acho que o show da Fábrica vale a pena, sim. Não acho que será repetitivo, pois os 3 shows são bem diferentes. A única coisa repetitiva é o tema "Natal", mas, afinal de contas, é para serem envolvidos nesse clima que vocês estão indo a Gramado nessa época, não é? O Grande Desfile e a Fantástica Fábrica são mais "infantis", mas encantam qualquer adulto. Portanto, acho que mesmo para um casal que não esteja acompanhado de crianças, os dois shows valem a pena. Eu não assisti à Fábrica porque precisaria de, pelo menos, mais um dia na cidade para não fazer tudo corrido. Mas também te digo uma coisa: apesar de não ter assistido à Fábrica, voltei pra casa muito satisfeita. Não saí de Gramado com aquele sentimento, "Ai, que peninha que eu não vi a Fantástica Fábrica", entende? Até porque você vai ver muitas apresentações de Natal em Gramado:a Parada de Natal e a Árvore Cantante, por exemplo. Ou seja, voltamos bem saciados com o clima natalino. Acho que agora eu te deixei mais confusa, né??? rsrsrs É que a decisão fica sendo algo muito pessoal; porém, repetitivos os shows não são. Beijos e uma maravilhosa viagem!

Anônimo disse...

Oi Regina Helena, gostei muito de sua postagem, é realmente bem completa.
Parabéns!! Gostaria só de uma informação, o que é melhor no Nativitaten arquibancada ou camarote? Vi que você ficou na arquibancada no Nativitaten e no camarote no Grande Desfile,tinha pensado em fazer o contrário. Gostaria de uma opinião sua . Obrigada!!

Regina Helena disse...

O camarote do Nativitaten é melhor do que a arquibancada e eu só não o comprei porque já não havia mais assentos disponíveis. Quanto ao Grande Desfile, a diferença que eu percebi foi quanto ao tipo de assentos. Os assentos do camarote são cadeiras mesmo (com apoio para as costas), já os assentos da arquibancada são tipo bancos que ficam sobre aquelas tábuas de madeira distribuídas em seis níveis (nas fotos dá para entender o que digo). As cadeiras do camarote ficam mais ao nível do chão. Mas ambos os setores oferecem a mesma visibilidade do desfile. Outra diferença é que o desfile passa primeiro pelo setor do camarote, mas não considero isso nenhuma grande vantagem. Resumidamente, a diferença maior no Grande Desfile é no tipo de assento, que é mais confortável no camarote, mas, de repente, você pode achar mais interessante economizar nos ingressos. Agora, para idosos, os assentos fazem diferença. Nesse caso, o camarote é bem melhor. Para o Nativitaten, fique com o camarote. Eu não gostei muito da arquibancada para esse show, achei um pouco desconfortável. Qualquer outra dúvida, pode me perguntar. Boa viagem!

Anônimo disse...

Regina Helena,
Suas dicas me ajudaram muito na hora de comprar os ingressos pela internet! Obrigada!!

Regina Helena disse...

De nada! Divirta(m)-se em Gramado! E um Feliz Natal antecipado!

Thais Thomazini disse...

Regina, querida, quero te agradecer e te parabenizar pelo post que fez. Achei seu blog por um acaso procurando dicas pelo Google. Nossa, vc foi maravilhosa, uma anjo q caiu do céu! rs Anotei todas as dicas que você deu, amei!!! Poxa, obrigada mesmo, estava perdidinha aqui rs.
Tomara que você faça mais viagens e se divirta bastante. Beijos!!
Thaís Thomazini

Regina Helena disse...

Thaís, obrigada pelo carinhoso comentário. Fico muito feliz quando fico sabendo que ajudei alguém, pois gosto de passar adiante as dicas. Aproveite bastante sua viagem! Gramado é uma cidade linda e inesquecível. Beijinhos.

Anônimo disse...

Como faço para contatar com você por email ??????

Aguardo !!!
Sandra

Regina Helena disse...

Oi, Sandra! Meu e-mail é:

reginahrmendes@gmail.com

Um abraço.

andrea disse...

Boa Noite!

Oi Regina Helena, adorei a sua postagem à respeito de Gramado.
Vou em dezembro com meu esposo e minha filha de 6 anos. Ficarei hospedada no hotel do sesc do dia 05 ao dia 10 de dezembro. Como achei o período de tempo curto pensei em ficar mais uns 3 dias em outro hotel. Vc acha melhor eu ficar em uma pousada simples no centro ou em um hotel com piscina e mais verde mais afastado do centro. o que vale mais a pena? você ficou no Alpestre, se voltasse À Gramado ficaria nele novamente ou optaria por uma pousada mais simples porém no centro? Estou na duvida. Outra duvida é em relação aos passeios... Passeios em Gramado, Canela e Nova Petropolis é melhor alugar um carro, pegar onibus ou contratar uma agência de viagem? penso no custo beneficio também. Os passeios das agências são bem caros, pensei em contartar alguns e fazer outros sozinha. cada passeio demora cerca de 1 dia e poderei aproveitar apenas 6 dias.
obrigada pela ajuda! Bjs

Regina Mendes disse...

Andrea, é um pouco difícil responder quanto à hospedagem porque é tudo tão perto em Gramado. Eu só não entendi por que você vai trocar de hotel. Mas, respondendo à sua pergunta, sim, eu não veria nenhum problema em voltar a me hospedar no Hotel Alpestre, só que ele é um pouco caro. Então, só por isso, talvez eu ficasse numa próxima vez num hotel ou pousada mais central e mais barato. Mas como você já terá conhecido bem a cidade (do dia 5 ao dia 10, certo?) e como Gramado é pequeno, talvez fosse melhor você ficar num hotel com uma estrutura maior para aproveitar o lazer do hotel. Quanto aos passeios para Canela e Nova Petrópolis, boas opções são alugar um carro ou ir com uma agência de viagens (particularmente, eu prefiro a segunda opção). Os passeios em grupo saem bem mais baratos do que os privados. Para circular em Gramado, você não precisa de uma agência de viagens. Você vai fazer quase tudo a pé. Para os lugares mais distantes em Gramado, você pode pegar um táxi, mas lembre-se de que alguns lugares turísticos e alguns restaurantes também oferecem traslado gratuito, com embarque e desembarque no seu hotel em horários determinados. Será que ajudei? Qualquer coisa, me pergunte novamente. Beijo.

Regina Mendes disse...

Andrea, só para você poder ter uma noção de quantos dias vai querer ficar em Gramado, saiba que eu fiquei 5 noites. Então, dependendo do que mais você vai querer visitar/fazer além do que eu fiz, vá acrescentando dias ao seu roteiro. Não faltam opções de passeios. Se quiser curtir mais, acho que 7 noites já seriam o suficiente. Beijos.