Rio de Janeiro (17ª parte)

Fotos variadas em lugares variados do Rio de Janeiro...


A Casa do Alemão é um daqueles lugares gostosos de se parar para um lanche e um bate-papo com os amigos. Esta aqui é a do Leblon, a mais nova até o momento. Há também na Barra da Tijuca, mas foi a de Petrópolis que começou a espalhar a sua fama.


Um dos sucessos da Casa do Alemão é o croquete. Tem de carne, frango e bacalhau, mas os de carne parecem ser os mais pedidos. O croquete é feito na hora, portanto, vem quentinho e crocantérrimo. O recheio é uma pasta muito cremosa.


O sanduíche de linguiça (pedimos sem queijo) é outra especialidade da Casa do Alemão que não sai das mesas.



Mas não são só os salgados que fazem sucesso na Casa do Alemão. Os doces também são estrelas! O difícil é se decidir: bombas de creme e de chocolate, torta alemã, quindim, mil folhas... Escolhi aquele que mais sai: o mil folhas. São fresquíssimos, crocantes e recheados com muiiiito creme, que tem um gostinho bem puxado para o chantilly.



A Casa do Alemão do Leblon fica na Av. Ataulfo de Paiva, 644. Uma avenida cheia de restaurantes bem transados. Nos finais de semana, essa avenida fica repleta de gente a desfrutar da night carioca. Aliás, um bom turista não pode deixar de passar por aqui, pois estará perto da praia do Leblon e caminhando por uma das ruas mais famosas do bairro mais chique da cidade!



A Av. Ataulfo de Paiva já é cheia de comércio, mas se você prefere shopping centers, é só caminhar até a Av. Afrânio de Melo Franco e visitar o Shopping Leblon. Lá não é difícil de se esbarrar com alguém famoso. Nesse shopping, já encontrei o autor de novelas Manoel Carlos, pessoa que não esconde sua paixão pelo Leblon.



Agora, vamos mudar de bairro e de shopping center. Este é o Riosul, em Botafogo, que conta com muitos restaurantes e cafés, como o Starbucks.



Souvenirs da Cidade Maravilhosa são vendidos no Starbucks.



Esta é uma das praças de alimentação do Riosul. Elas ficam repletas nos finais de semana.




O Riosul é um dos principais shopping centers do Rio de Janeiro e está cheio de lojas excelentes.



Veja no site do Riosul a relação de suas lojas. Com certeza, o turista vai gostar de visitá-lo. Aliás, vemos muitos transitando por aqui principalmente de dezembro a fevereiro.




Esta é a Rua do Rio (Shopping Nova América), uma rua cheia de restaurantes. O Shopping Nova América, que está em plena expansão, fica em Del Castilho, bairro não-turístico, mas se o turista tiver tempo sobrando na cidade, acho que vale a pena pegar um táxi ou o metrô e parar num desses restaurantes numa sexta-feira à noite, por exemplo, que é mais animado. Rola música ao vivo. Vale também chegar mais cedo para aproveitar e fazer compras no shopping.



Resolvemos ir almoçar no Baixo Leblon num domingo e escolhemos este restaurante, o Galeto Mania. Por ali, ficam vários restaurantes que costumam encher nas noites de finais de semana.



O pé de moleque é um dos doces típicos brasileiros que eu mais gosto. Estes são do restaurante À Mineira; uma delícia.



Aliás, os doces (incluídos no preço do buffet) do restaurante À Mineira são de dar água na boca: pudim, doce de abóbora, pavês, compotas, cuscuz, etc.



Este é o À Mineira do bairro Humaitá, onde, neste dia, comemoramos o aniversário da mamãe!



A feira de antiguidades do Baixo Gávea. Ocorre aos domingos.



Gosto de almoçar aqui, no restaurante Garota da Gávea, no Baixo Gávea.



Pois lá servem uma picanha na chapa muito saborosa, coisa que os cariocas adoram.



Para quem gosta de comida italiana, descobri esta cantina (Piccola Italia), mas eu ainda não a experimentei. Fica no Espaço Itanhangá (ao lado do restaurante Otto), na Estrada da Barra da Tijuca.



Fui ao Espaço Itanhangá neste dia para almoçar no Otto, que serve comida de especialidade alemã.



O ambiente é super agradável, perfeito para o almoço ou a janta.



As salsichinhas alemães do restaurante Otto, servidas com mostarda alemã escura. Uma das opções de petiscos.



De sobremesa, você pode pedir um apfelstrudel com sorvete de creme e chantilly.



O CADEG, em Benfica (zona norte), é o point de muitos portugueses (ou descedentes) e de muitos apreciadores dos bolinhos de bacalhau. Nesse estreito corredor, à direita, ficam pequenos bares que preparam os saborosos bolinhos. Há música portuguesa ao vivo (fomos num sábado à tarde) que embala essa galera que ainda consegue achar espaço aqui para dançar (confira no vídeo, no final desta página). Há também uma barraquinha que vende doces portugueses.



O CADEG é um mercado popular, onde vende-se muito por atacado para feiras. As floriculturas daqui fazem sucesso.



Os corredores do CADEG ficam cheios de cadeiras e mesas, pois o centro é também um grande polo gastronômico. Há vários restaurantes e você acha até o churrasco sendo assado nesses corredores. Eu só visitei o CADEG neste dia e, sinceramente, não gostei. Achei muito cheio.



Outro lugar que não faz minha cabeça, apesar de ser bem turístico, é a Feira de São Cristóvão. E pelo mesmo motivo: é cheio demais. Mas tem gente que a-d-o-r-a este lugar. Exemplos de comida nordestina que os restaurantes daqui servem: buchada de bode, carne de sol, feijão tropeiro, galinha caipira, sarapatel, baião de dois, etc.



Há até um palco onde as bandas tocam músicas nordestinas para o pessoal dançar.



As lojas de artesanato na Feira de São Cristóvão têm bons preços.



Se você quiser conhecer um pouquinho da cultura nordestina brasileira e de suas delícias, a Feira de São Cristóvão é o lugar!



Este é um dos simpáticos restaurantes da Feira de São Cristóvão. Nem todos são bonitinhos assim. Nas duas vezes que fomos lá, almoçamos no Rei do Baião (que não é o da foto), onde servem, inclusive, rodízio de comida nordestina. Veja mais fotos da Feira de São Cristovão em outra postagem que fiz aqui.



Praia do Pontal, no Recreio dos Bandeirantes. É uma praia muito bonita, mas, nos finais de semana de verão, fica muito cheia.



Domingo de verão na Praia do Pontal. Olha só quantas barracas na areia! Por causa da muvuca, não recomendo na alta temporada.



Na Praia do Pontal, você pode subir numas pedras e tirar fotos como esta. O visual é bacana.



Faixa de areia da Praia do Pontal repleta de banhistas. O trecho da ponta (ao fundo) é que fica mais cheio.



Esta é a Igreja de São Sebastião (Igreja dos Capuchinhos), na Tijuca, zona norte da cidade. O santo é o padroeiro da cidade do Rio de Janeiro. No Dia de São Sebastião (20 de janeiro), a igreja recebe milhares de fiéis.



O dia 20 de janeiro é, então, feriado no Rio. E os fiéis lotam a Igreja de São Sebastião e os vendedores de fitinhas do santo e outros artigos religiosos ocupam as calçadas e o pátio da igreja.


Igreja de São Sebastião em dia de homenagem ao santo. (Esta foto foi tirada em 20/01/2015.)


No dia do Padroeiro da Cidade do Rio de Janeiro, a Igreja de São Sebastião fica lotada de fiéis e vendedores. Veja como o pátio da igreja fica cheio de gente e barraquinhas. Aqui vemos também duas vans de emissoras de TV. (Esta foto foi tirada em 20/01/2015.)


Igreja repleta de fiéis na Igreja de São Sebastião, em 20 de janeiro de 2015. Repórter da Globo à direita se preparando para transmitir as notícias.



Igreja de São Sebastião (20/01/2015).




video

O CADEG, num sábado, fazendo a festa de muita gente.