VASSOURAS, MANDACARU, CABURÉ - O PASSEIO 3 EM 1 DOS LENÇÓIS MARANHENSES

Veja também as seguintes postagens:




Um passeio interessante para quem tem de três a quatro dias em Barreirinhas é aquele que leva a bordo de uma lancha a três vilas que ficam às margens do Rio Preguiças: Vassouras, Mandacaru e Caburé. Com dois dias apenas, as prioridades devem ser os circuitos da Lagoa Bonita, da Lagoa Azul (dá para fazer os dois num dia só, porém fica cansativo) e de Atins. É que quem vai para os Lençóis Maranhenses quer ver os Grandes Lençóis (que são aqueles lindos que vemos em revistas e cartões-postais), não é verdade? Porém, no passeio que dá título a esta postagem, você verá somente uma parte dos Pequenos Lençóis. Não que eles não sejam de grande beleza também, mas como o nome já sugere, ocupam uma área bem menor e você só irá ter um gostinho deles. Só para se ter uma ideia, a parada que é feita nesses "pequenos notáveis" para contemplação e banho é de apenas 40 minutos (foi o tempo que tivemos). Sem contar que você provavelmente ainda irá querer dividir esse tempo dando atenção - e banana - aos macacos-prego, que, cheios de graça, habitam uma mata dessa região dos Pequenos Lençóis, atrás da Tenda dos Macacos, uma cabana que vende algumas bebidas, artesanato e o alimento (banana) para os macacos. Essas atrações fazem parte do município de Vassouras, onde você chega após cerca de 45 minutos de navegação pelo Rio Preguiças. Vassouras é a primeira parada desse passeio.  

Em Mandacaru, uma vila de pescadores, a atração é outra: o Farol Preguiças. Do seu topo, o farol proporciona uma bela vista panorâmica para o vilarejo, as dunas dos Lençóis, o rio e o mar. Mas é preciso vencer os 160 degraus do farol de 35 metros de altura. Nada que custe muito. Na descida, a pedida é entrar nas lojinhas de artesanato e levar alguma lembrança, ou tomar um sorvete caseiro de uma das frutas regionais, como de cajá, buriti e graviola. O povoado é humilde, mas é de muita simpatia. Depois, é hora de entrar na lancha e partir para a terceira e última parada: Caburé. Às vezes, esse mesmo passeio pode ser esticado até Atins, tendo um tempo maior de duração, mas, na época de minha visita, não estava sendo oferecido. Segundo minha agente de turismo, quando há parada também em Atins é porque um grupo fechou o pacote. Mas vou lhe dizer uma coisa: Atins é tão lindo que, se você tiver dias suficientes em Barreirinhas, vale mais a pena dedicar um dia inteiro só para essa vila. Constatei isso no dia seguinte, quando fiz o passeio a Atins e Canto de Atins. 

É na última parada, ou seja, em Cubaré (na praia da vila), que você passa mais tempo durante esse passeio. São cerca de duas horas e meia para você almoçar, descansar, curtir o mar da praia e se divertir num quadriciclo. Tirando a emoção do veículo, tudo ali dá uma preguicinha... O lugar é ótimo para não fazer nada mesmo, e as redes convidam para uma sonequinha. Depois do almoço, então nem se fala. O problema é que não há redes para todo mundo e elas ficam logo ocupadas. O jeito é ficar tomando uma bebidinha debaixo de um daqueles guarda-sóis de palha enquanto espera a hora de voltar para a pousada. Aí quem não tirou aquele cochilo, provavelmente o fará no caminho de volta, mesmo sendo dentro de uma lancha voadeira. Mas é que sobre as águas calmas do Rio Preguiças e com aquele vento batendo no rosto durante uma viagem que leva mais de uma hora sem pausas até chegar em Barreirinhas, fica difícil o sono não se manifestar. Não aconteceu só comigo não. Eu estava sentada nos primeiros assentos da embarcação, por isso pude ver algumas pessoas dormindo quando olhei para trás. Eu não cheguei a dormir, mas que a minha cabeça tombou um monte de vezes, isso não posso negar rsrsrs

O passeio a Vassouras, Mandacaru e Caburé dá a chance de você curtir paisagens variadas, por isso é um dos mais procurados por quem está visitando os Lençóis Maranhenses. É também uma oportunidade de dar aos seus olhos uma folga dos Grandes Lençóis, porque há outras belezas na região a serem contempladas. E pode acreditar, o Rio Preguiças é uma delas.





Da Avenida Beira Rio, em Barreirinhas, saem as lanchas para o passeio a Vassouras, Mandacaru e Caburé, pois é preciso navegar pelo Rio Preguiças.


Como ficamos hospedados no centro de Barreirinhas, viemos para o cais da Avenida Beira Rio a pé, acompanhados de um guia da agência de turismo que foi nos "apanhar" na pousada. Mas nem precisaria, pois é muito fácil chegar aqui e só levamos cinco minutinhos. Ele só fez o acompanhamento até o cais. Depois o nosso "guia" foi o piloto da lancha. Mas ele só passa algumas informações sobre o passeio e a região enquanto faz a travessia do rio; depois você fica por conta própria. É que em nenhuma das paradas (Vassouras, Mandacaru e Caburé) você precisa do acompanhamento de um guia. 


As lanchas que fazem o passeio são chamadas de "voadeiras". Veja que são pequenas, mas confortáveis e seguras. Transportam de 10 a 12 pessoas.


Todos devem colocar coletes salva-vidas dentro das lanchas voadeiras. Mas, não se preocupe, o passeio é tranquilo. Só o vento é que pode incomodar (a mim, não incomodou), então melhor deixar seu boné ou chapéu guardado na bolsa para eles não voarem. 


Uma das partes mais legais deste passeio é a navegação pelo Rio Preguiças, pois é interessante ver toda aquela vegetação que margeia o rio. São mangues e igarapés que passam pelo seu caminho. 


Os manguezais do Rio Preguiças. 


Durante a travessia, o piloto da embarcação dá algumas explicações sobre a região e mostra as típicas palmeiras de buriti. Ele disse, por exemplo, que a extensão do Rio Preguiças, do nascente até onde ele se encontra com o mar, é de 260 km. Porém, somente 120 km são navegáveis. Durante este passeio, navegamos somente 40 km. O Rio Preguiças chega de 1 a 16 metros de profundidade. 


Após cerca de 45 minutos de navegação pelo rio, chegamos ao povoado de Vassoras, onde estão localizados os Pequenos Lençóis. Daqui já vimos ao fundo as dunas dos Pequenos Lençóis que ficam às margens do rio. Ali, mais precisamente, em frente à Tenda dos Macacos, foi a nossa primeira parada (40 minutos). 


Esta é a Tenda dos Macacos, uma ótima base. Há banheiros ao lado e eles vendem algumas bebidas, artesanato e banana para você alimentar os macacos-prego que habitam a mata atrás da cabana. Pagamos R$1,00 por um pratinho com rodelas de banana. Não é permitido dar biscoitos aos macacos, apenas fruta. 


Não dá tempo, mas há redes para descansar (ao fundo) na Tenda dos Macacos. É só ir para a parte detrás da tenda para encontrar essas figurinhas das fotos abaixo.


São vários macacos-prego que ficam pulando de galho em galho e nos ombros dos visitantes. Isso mesmo! Se você tiver com comida na mão, eles pulam em cima, mas sem agredir, para pegar o alimento. Por isso, é bom ter cuidado com seus pertences porque, na travessura, eles podem pegá-los e sair correndo com eles para dentro da mata. É bom não bobear rsrsrs


Um dos arteiros macacos-prego da comunidade de Vassouras.





Os macacos-prego de Vassouras são adoráveis. Não eram só crianças que se divertiam com eles não. Os adultos também, e muito! Eles passam o tempo todo perto dos visitantes, mas é claro que se você tiver um pratinho de banana na mão, eles se aproximam mais.




Este foi o macaco que mais se aproximou de mim. Foi muito divertido ficar dando os pedaços de banana nas mãos dele. 


Só que, de repente, ele deu um pulo no meu ombro e eu levei o maior susto! Aí as bananas foram todas para o chão, mas o danadinho catou tudo com suas duas mãos (e de uma vez só) e levou pra dentro da mata rsrsrs 


Um dos macacos-prego no telhado de palha da Tenda dos Macacos. Eles estão por toda parte.


Inclusive nos ombros e braços dos visitantes para pegar as bananas dos pratos. Quando isso acontece, é a maior diversão e uma lembrança que todos querem deixar registrada em fotos. Se não quiser que isto aconteça, é bom não ficar com o pratinho de banana na mão.


Bem ao lado da Tenda dos Macacos estão as dunas e lagoas que fazem parte dos Pequenos Lençóis da comunidade de Vassouras.


Os Pequenos Lençóis são bem mais modestos, mas são de grande beleza também. É um grande visual essa junção de dunas, lagoas, rio e manguezais. Aqui a areia é um pouco amarelada.


As dunas dos Pequenos Lençóis às margens do Rio Preguiças.


Como visitamos os Pequenos Lençóis em julho, suas lagoas estavam cheias, mas há épocas em que elas ficam secas. Pois estas lagoas são também de água doce e se formam durante o período de chuvas. Observe ao fundo os cataventos da usina eólica sobre as dunas.


Esta lagoa (a mesma que a de cima, porém em "panorâmica") fica próxima à margem do rio. O que quero dizer é que, desde o local onde ficou atracada a sua lancha voadeira, você anda bem pouco até chegar aqui.  





Pena que a parada em Vassouras foi tão curta. Como eu fiquei me divertindo com os macacos e tirando fotos da paisagem, nem deu tempo de me banhar nesta lagoa dos Pequenos Lençóis. Quando eu vi, faltavam dez minutos para estarmos de volta na lancha. 


Veja como as dunas dos Pequenos Lençóis de Vassouras ficam bem próximas da Tenda dos Macacos e da margem do rio.


De volta na lancha, continuamos nossa viagem até Mandacaru, vila de pescadores que abriga o "Farol Preguiças", também chamado de "Farol de Mandacaru", de 1909. O farol fica dentro da área da Marinha.


As lanchas ancoram no cais da pequena comunidade de Mandacaru para os passageiros desembarcarem e seguirem para a visita ao farol. A parada aqui também foi de 40 minutos.


O povoado de Mandacaru (os ribeirinhos) vive do turismo e da pesca. Várias casinhas dessas, que ficam no caminho para o farol, vendem artesanato, principalmente feito com a fibra da palmeira de buriti. Não deixe de conferir o artesanato daqui, pois encontrei algumas peças bem bonitas. Comprei, por exemplo, um chapéu colorido bem bonito feito com o buriti. Logo adiante fica a entrada para o farol, que é propriedade da União Marinha do Brasil. 


O Farol Preguiças tem 160 degraus em escada circular bem estreita, principalmente quando se está chegando ao topo. Aí é preciso esperar um grupo de pessoas descer para poder subir outro (ou vice-versa) por falta de espaço. E como o mirante é pequeno, não se pode demorar muito na visitação para não prejudicar a circulação das pessoas. Dez minutos são suficientes para tirar as fotos da vista panorâmica.


Parte da vista panorâmica do Farol Preguiças - Mandacaru.

A vista panorâmica do Farol Preguiças inclui o mar, ao fundo, o rio, manguezais, as dunas dos Lençóis e o vilarejo de Mandacaru.


Do alto do Farol Preguiças, você verá o encontro do rio com o mar. 


A vegetação exuberante do Rio Preguiças vista a partir do mirante do Farol Preguiças.


Vista do portão de entrada do Farol Preguiças e parte do vilarejo de Mandacaru.


A parada em Mandacaru foi também de 40 minutos, mas foi o tempo suficiente para subir e descer o farol, tirar muitas fotos lá de cima, e ainda fazer umas pequenas comprinhas de artesanato na volta. Ao fundo, a entrada para o Farol Preguiças. À direita, uma das casas que vendem os sorvetes caseiros de diferentes frutas regionais (bacuri, buriti etc.) e água de coco. 


Perto do cais de Mandacaru, são vendidas cachaças artesanais bem esquisitas para aqueles que, como eu, não encontram disso em sua cidade. Por exemplo, algumas garrafas tinham camarão dentro, outras caranguejo, e as menos estranhas tinham frutas. Eu já tinha visto garrafas assim num mercado no centro histórico de São Luis e fiquei muito intrigada com elas 😔



Nossa terceira e última parada foi na Praia do Caburé, onde chegamos às 11:50 e ficamos até as 14:30. Ou seja, tivemos bastante tempo para almoçar, descansar, mergulhar... Quem quisesse também podia alugar quadriciclos para passear na praia. Quando você chega aqui, já deve ir pedindo seu prato, pois ele leva cerca de 40 minutos para ficar pronto. O almoço não está incluído no valor do passeio. 


Caburé é uma vila de pescadores banhada de um lado pelo rio (Preguiças)...

..e do outro lado, pelo mar (o Atlântico).


Em Caburé, você pode ficar debaixo da sombra de um dos guarda-sóis de palha... 


...aproveitando a paz, sem fazer nada.


O piloto de nossa lancha nos deixou no ponto da praia onde há o restaurante "Cabana do Peixe" (ao fundo). Segundo ele, era o melhor que havia. O lugar é simples e servem peixe e camarão grelhados. Nós comemos o peixe (acompanhado de arroz baião de dois, farofa e vinagrete) e achamos a comida sem graça. O que eles cobram é bem "acima" do que servem, mas isso sempre acontece em lugares rústicos assim, isolados e sem outras opções para comer. 


Na Praia de Caburé, são oferecidos quadriciclos para aluguel. Dá até para alugar por 1 minuto 😔 Mas faz muito mais sentido alugar por 15, 30 ou 60 minutos, que são as outras opções. Nosso guia recomendou ao grupo tomar muito cuidado ao pilotarem esses veículos porque já ocorreram acidentes. Algumas regras: Não é permitido entrar na água com o quadriciclo, fazer zerinho e pilotar se for menor de 18 anos. Se acontecer algum dano ao veículo durante o passeio, quem paga pelo prejuízo é quem alugou. 


Praia do Caburé. Aqui é a área para quem quer andar de quadriciclo. 


O mar da Praia do Caburé é raso (pelo menos estava nessa época) por uma boa extensão e relativamente calmo, apesar das constantes "ondinhas". 


E depois de ficarmos só no descanso na Praia do Caburé, hora de voltar e de aproveitar pela segunda vez o cenário que margeia o Rio Preguiças: dunas e vegetação típica.



Rio Preguiças - Maranhão


A lancha voadeira no Rio Preguiças.


As margens do Rio Preguiças têm vegetação exuberante.


Rio Preguiças, no retorno da Praia do Caburé. A volta é sem paradas até o cais em Barreirinhas, por isso "sentimos mais" a duração do trajeto no retorno (mais de uma hora). Às 15:45 aproximadamente, chegamos na Avenida Beira Rio. O passeio teve início às 8:30 aproximadamente.

Apesar de eu ter gostado do passeio "Vassouras-Mandacaru-Caburé", se eu tivesse que dar uma nota, daria 7. Eu já tinha uma noção de como seria esse tour, mas eu imaginava que o passeio pelos Pequenos Lençóis fosse maior. Além disso, a parada de 40 minutos ali foi muito curta, não dá para aproveitar muito o banho na lagoa, a não ser que você não perca tempo na Tenda dos Macacos. Para mim, teria sido melhor ficar menos de tempo em Caburé para aproveitar mais a lagoa dos Pequenos Lençóis. Vinte minutos a mais em Vassouras já fariam uma diferença positiva. Também senti falta de algumas explicações sobre os Pequenos Lençóis, pois esse passeio não tem guia, já que não há necessidade. O piloto da lancha é quem passa algumas informações enquanto a travessia é realizada, mas não me lembro ter ouvido comentários sobre os Pequenos Lençóis. Enfim, como falei acima, acho que este passeio vale mais a pena para quem já fez - ou irá fazer - os circuitos aos Grandes Lençóis. Esses, sim, são nota 10!!! 


Fizemos este passeio com a agência de turismo em Barreirinhas chamada Vale dos Lençóis