COMO SÃO OS MELHORES PASSEIOS NOS LENÇÓIS MARANHENSES

É no estado do Maranhão que se encontra o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, um dos lugares mais bonitos do Brasil, de paisagens únicas no mundo. O local parece um deserto, com dunas branquinhas a perder de vista. Parecem que não têm fim. Intercaladas com elas, estão lagoas de diferentes tamanhos e curvas, resultado de um trabalho de arte feito pela natureza, pois é a ação do vento que vai moldando o cenário. Por isso, as dunas e lagoas mudam de formato constantemente. As lagoas viram piscinas naturais de temperatura amena, proporcionando deliciosos banhos. São formadas pela água da chuva; portanto, é preciso chover muito durante o início do ano para que elas ficam bem cheias na alta temporada, que geralmente é a partir de maio. É quando as lagoas estão cheias que aquele parque, que ocupa uma área um pouco maior do que a capital de São Paulo, fica ainda mais exuberante. Para deleite dos visitantes. Você pode explorar as belezas dos Lençóis Maranhenses partindo de Barreirinhas, Atins e Santo Amaro. Mas é o município de Barreirinhas a principal porta de entrada para os Lençóis Maranhenses, pois conta com mais infra-estrutura, sendo, portanto, a base mais turística. 

As paisagens das dunas e das lagoas nos passeios feitos aos Lençóis Maranhenses são bem parecidas, por isso é bom não se distanciar muito de seu guia. E quem se aventura
em caminhadas longas e aventureiras, por exemplo, de alguns dias a partir de Santo Amaro até Atins, deve ter um guia. Nesse segundo caso, não falo por experiência própria, mas é o que a gente ouve por lá, nas conversas de guias e viajantes. 


Se as paisagens são bem parecidas e como o Parque dos Lençóis Maranhenses é composto primordialmente por dunas e lagoas (são dunas livres e dunas entre lagoas), você pode estar se perguntando: "Então basta fazer um só passeio nos Grandes Lençóis para saber como são e ficar satisfeito?" A resposta pode ser sim, se você realmente não tiver mais de um dia na região... Os guias me disseram que há quem fique um dia somente; mal pude acreditar. Mas eu me sinto muito melhor lhe dizendo que "não". Apesar dos cenários serem semelhantes, a diferença é que aquelas lagoas não são quaisquer lagoas. Elas são lindas, algumas são quase uma escultura, têm água cristalina e amena, podem ter tom de verde, de azul, de dourado ou até de prateado, depende da incidência da luz. E é claro que não dá para ver as mais bonitas lagoas num único passeio porque o parque é gigante. Por isso é que as empresas de turismo oferecem diferentes passeios aos Lençóis. Então eu não voltaria para casa sem ficar, pelo menos, dois dias inteiros em Barreirinhas para fazer os melhores circuitos. Até porque, já que você está lá, aproveite! 


Então, quantos dias reservar para os Lençóis Maranhenses?

O ideal, para quem não quer esticar com hospedagem em Atins e/ou Santo Amaro, é ficar quatro dias em Barreirinhas e fazer os principais passeios. Dá até para "espremê-los" em três dias para quem não faz questão de ter pausas para descanso. Por exemplo, tem gente que faz Lagoa Bonita e Lagoa Azul no mesmo dia, mas todo mundo diz que é bem cansativo. O passeio de boia-cross no Rio Formiga dá para conjugar com outro à tarde, assim como o circuito a Vassouras, Mandacaru e Caburé, deixando tudo bem combinado com a agência de turismo. Dá até para fazer um desses dois passeios na parte da manhã no seu último dia em Barreirinhas e pegar o transfer da tarde (às 16:00) para São Luís. Pelo menos, na alta temporada, as pousadas organizam transfers (van ou micro-ônibus) na parte da tarde também. Só não esqueça de avisar seu guia que você está de viagem para São Luís no mesmo dia, para que ele não se distraia com o horário durante o passeio da manhã.

Veja abaixo como ficou nosso roteiro de quatro dias em Barreirinhas. Eu achei que ele ficou ótimo, pois conseguimos fazer os passeios principais. Só não fizemos o passeio a Santo Amaro, que eu queria muito, mas não estava sendo oferecido. E também não fizemos questão de fazer nem o passeio de boia-cross nem o sobrevoo.

Nosso roteiro:

Dia 1: Partida de São Luís por volta das 8:00. Viagem em ônibus de turismo agendada por nossa pousada. Chegada na pousada em Barreirinhas por volta do meio-dia. / Circuito Lagoa Bonita às 14:00. Chegada à pousada por volta das 20:00. / Noite: Avenida Beira Rio (onde ficam os restaurantes, algumas lojinhas e um grande armazém de artesanato) .

Dia 2: Manhã: Descanso na pousada e uma volta pelo centro de Barreirinhas. Tarde: Circuito Lagoa Azul com partida às 14:00 e chegada à pousada por volta das 19:30. Noite: Avenida Beira Rio.  

Dia 3: Manhã: Circuito Vassouras-Mandacaru-Caburé, com partida às 08:30. Chegada à pousada por volta das 16:00. / Restante do tempo: aproveitando a pousada e a Avenida Beira Rio. 

Dia 4: Circuito Atins e Canto de Atins. Este é um passeio de dia inteiro, só dá para aproveitar o resto da noite em Barreirinhas.

Dia 5: Partida às 8:00 para São Luís em van de turismo contratado pela pousada. Neste dia eu poderia ter feito mais um passeio na parte da manhã, como o boia-cross, mas não me interessei. Daí eu teria que partir à tarde para São Luís. Se eu tivesse tido a oportunidade, teria feito passeio a Santo Amaro no Dia 3, e o passeio de Vassouras/Mandacaru/Caburé teria deixado para fazer na manhã deste último dia. Ficaria apertado, mas aproveitaria muito bem meu tempo. Porém, não houve oferta de passeia a Santo Amaro.    

Como contratar seus passeios:

1) Entrando diretamente em contato com as agências de turismo em Barreirinhas (por internet ou pessoalmente), porém indico deixar passeios reservados com alguns dias de antecedência na alta temporada; 2) Diretamente com sua pousada. A maioria delas têm parceria com as agências de turismo e elas mesmas podem fazer as reservas e receber os pagamentos. Acho esta a maneira mais prática e foi o que fizemos. Ficamos hospedados na Pousada Buriti, da qual gostamos muito. 

Tipos de passeios oferecidos: 

Os passeios ocorrem em grupos em Toyotas 4X4, estilo jardineiras, especialmente adaptadas para aquelas trilhas, com capacidade para 12 passageiros (mostro fotos abaixo). Há também a possibilidade de se contratar um serviço privado, ou seja, um carro somente para seu grupo numa caminhonete Hilux que tem lugar para até 4 pessoas, mas nem todas as agências oferecem e também depende da disponibilidade do veículo, já que serviços privados não são muito procurados porque são bem mais caros - passeios assim costumam custar quase seis vezes mais do que aqueles nas Toyotas 4X4. Porém o valor pode ser dividido por até quatro pessoas. Se você tiver mais três acompanhantes, a opção do veículo privado pode valer a pena, principalmente para crianças e idosos, pois a caminhonete Hilux é mais confortável, além de ser fechada, o que garante proteção aos galhos das árvores que saem batendo nas laterais do veículo nos acessos mais fechados das trilhas. Por curiosidade, perguntei a um guia se essas caminhonetes, por serem menores do que as Toyotas "jardineiras", não atolavam com mais facilidades, e ele me garantiu que não.  

Melhor época para visitar os Lençóis Maranhenses e alguns comentários: 

A melhor época é entre maio e final de agosto (tem gente que ainda considera setembro como boa possibilidade, mas em agosto as lagoas começam a esvaziar), quando as lagoas estão cheias. Mas sempre ouvi dizer que o melhor mês de todos para pegar as lagoas bem bonitas é julho. E foi justamente nesse mês que eu viajei e fui presenteada com lindas lagoas, bem cheias. Principalmente porque havia chovido muito meses antes. A época de chuva constante é geralmente entre fevereiro e maio. Daí eu acho melhor não arriscar ir em maio porque pode chover muito e alguns passeios podem ser cancelados por causa das grandes poças d'água (principalmente para Atins) e da lama (risco grande dos carros atolarem). Muitos viajantes preferem visitar os Lençóis em junho para aproveitar as boas festas juninas em São Luis, que é a "cidade de conexão" para Barreirinhas. Há festas julinas também, mas são poucas e nem tão animadas. Eu não viajaria aos Lençóis na época das lagoas secas (a partir de setembro), pois vi algumas fotos na internet de quando elas estão assim e a paisagem perde boa parte de sua beleza.  


Como chegar aos Lençóis Maranhenses:

A "cidade de conexão" mais usada para os Lençóis Maranhenses é São Luís, a capital do Maranhão. De São Luís, você precisa ir para o município de Barreirinhas, a 257 km de distância, o que dá cerca de 4 horas de ônibus turístico. Alguns turistas alugam carro, outros vão de ônibus (Viação Cisne Branco) ou em vans/ônibus de excursões contratados pelas agências de turimo. O nosso transfer foi realizado pela pousada onde nos hospedados em Barreirinhas (Pousada Buiriti), o que achei bem prático, e correu tudo bem. Várias pousadas em Barreirinhas fazem esse serviço (pago à parte) para seus hóspedes. Em Barreirinhas, você precisa contratar os passeios nas agências de turismo locais (ou através de sua pousada, como expliquei acima), pois somente veículos (Toyotas 4X4) credenciados pela ICMBio, com motoristas e guias também credenciados, podem fazer as trilhas até as dunas. As trilhas são muito rudimentares (têm lama, buracos, poças d'água, muita vegetação em acessos estreitos) e somente um motorista "treinado" pode encarar o trajeto, que, diga-se de passagem, parece um labirinto. Antes de se chegar a essas trilhas, o veículo precisa atravessar o Rio Preguiças em cima de uma balsa (mostro fotos mais abaixo).       

Vacina: 

Não é obrigatória; ninguém me pediu nenhum certificado. Mas eu acho melhor tomar antes de ir a vacina contra a febre amarela porque Barreirinhas estava (não sei se ainda está) na lista de lugares com risco de contaminação.

Celular: 

Pegou muito bem em Barreirinhas (a nossa operadora era a Vivo) e até nos Lençóis Maranhenses. Estávamos em cima das dunas, tanto no passeio da Lagoa Azul quanto no passeio de Atins, quando o celular tocou, para a nossa surpresa. E a qualidade da ligação estava ótima. Mas não é em todos os pontos dos Lençóis que há sinal.

Cartão de crédito:

É aceito em quase todas as lojas e restaurantes em Barreirinhas.  

O que levar nos passeios aos Lençóis Maranhenses:

Por causa da alta incidência dos raios solares, é importante manter-se hidratado (mas na medida certa porque não há banheiros públicos no local). Os Lençóis Maranhenses estão a 02 linha do Equador. Portanto, leve algumas garrafinhas de água mineral, protetor solar, chapéu ou boné (você não vai encontrar sombra nas dunas), óculos de sol, chinelos, roupas de banho. Os guias aconselham levar um pequeno lanche quem achar que vai sentir fome, pois não há nenhum lugar nos Lençóis para comprar comida (apenas nos finais do passeio, há umas barraquinhas vendendo tapioca). Nós até levamos alguns biscoitinhos, mas não sentimos fome. Levar água é mais importante do que comida, principalmente se você já tiver feito uma refeição, mas coma pouco e algo leve se você costuma se enjoar em viagens de carro que chacoalham muito. Você pode deixar as bebidas dentro de uma caixa térmica com gelo que fica dentro do carro. Minha dica é que você já entre no carro com suas bebidas/comidas compradas para poupar tempo, principalmente porque os passeios já podem sair com algum atraso por causa de algum imprevisto. Mas os guias sempre perguntam quem quer parar no supermercado para comprar alguma coisa e geralmente sempre tem alguém. Só não é permitido levar bebidas alcólicas para os Lençóis. É importante não levar muito peso, somente o necessário mesmo, porque você vai ter que levar o peso nas caminhadas. Acho interessante levar uma mochila pequena para carregar suas coisas (água, máquina fotográfica etc.).

Lembre-se de que não se pode sujar os Lençóis, então, se tiver lixo consigo, coloque num saco e traga de volta até jogar na lata de lixo da sua pousada. 


A mochila, além de ajudar a carregar os pertences (água, protetor solar etc.), deixa-os protegidos da água porque em alguns momentos é preciso atravessar lagoas com água que pode vir até a cintura.

Que tipo de roupa usar nos passeios nos Lençóis Maranhenses?


Essa era uma das minhas maiores dúvidas antes de ir, por incrível que pareça. É que como eu sabia que não haveria nenhuma sombra nos Lençóis Maranhenses e que faríamos longas caminhadas debaixo de um sol escaldante, imaginava que mesmo um bom protetor solar não seria o suficiente para proteger a minha pele. 

Eu queria ir com um top (ou o sutiã do bikini) e um short (ou saia, ou canga), ou um maiô, como se eu estivesse indo para a praia, justamente por causa do calorão e pela facilidade de só ter de tirar o short (ou similar) para se jogar na lagoa. E foi exatamente o que eu fiz. Porém, por precaução, levei dentro da mochila uma blusa de manga comprida com proteção FPU50+, o que garante proteção de mais de 98% da radiação solar (são essas blusas que esportistas usam no sol). Mas nem cheguei a usá-la porque os dias não estavam tão quentes assim (Lagoa Bonita e Lagoa Azul, eu fiz no período da tarde), estavam até um pouco nublados, e achei que o protetor solar foi o suficiente. 

Entretanto, minha pele não é muito sensível ao sol. Para quem tem pele sensível, eu recomento muito o uso dessa vestimenta, pois ela não esquenta o corpo e não deixa a pele queimar nem um pouquinho. Meu marido usou pela primeira vez e adorou. Se não fosse isso, ele teria ficado com a pele bem vermelha (mesmo usando protetor solar), pois ele tem uma certa alergia ao sol. Essa vestimenta foi perfeita para ele. Vale a pena comprá-la se sua pele for bem sensível ao sol. Se possível, compre uma que, além da proteção contra os raios solares, seja também quickdry (ou dry fit), pois você pode entrar nas lagoas com a blusa (a proteção contra o sol é permanente, dentro e fora d'água) e a secagem é rápida. Essas blusas dispensam o uso de protetor solar, aliás, não se deve usar o proteror debaixo delas porque pode manchá-las. As blusas que compramos é da marca UV.LINE e aprovamos.     


À direita, veja que as mulheres estão usando roupas leves, que é o que deve ser. É preciso ir com o bikini/maiô por baixo da roupa, pois não há lugar para se trocar. Muitas mulheres caminham pelas dunas somente com o top do biquini e um short, mas quem tem a pele sensível deve colocar uma blusa por cima, pelo menos. Quanto aos homens, vi muitos andar com um calção (shorts) e um T-shirt.  Veja que meu marido usou a tal blusa da UV.LINE. Ela é ótima porque, como ela seca rápido, dá para lavá-la na pousada na volta do passeio e, no dia seguinte, ela já está seca, pronta para ser usada novamente. Há também bonés com o mesmo tipo de proteção contra os raios solares e acho que são uma ótima aquisição.    

O transporte 4X4 e a travessia do Rio Preguiças:

O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses só pode ser visitado por veículos, condutores e guias credenciados de acordo com as normas da ICMBio. Por isso os veículos precisam estar com o adesivo com o número do credenciamento. Na maioria dos passeios a partir de Barreirinhas, o transporte é feito em Toyotas 4X4, especialmente adaptadas, estilo "jardineira", pois os passageiros vão na parte aberta do veículo. A partir da pousada, o veículo faz um pequeno percurso até chegar ao ponto onde é feita a travessia dos veículos (e dos passageiros juntos) no Rio Preguiças, em cima de uma balsa. 

À direita, os passageiros esperam em fila a vez de entrarem na balsa junto com seus veículos das agências de turismo. Quando há muita movimentação, sempre rola uma espera de, pelo menos, 20 minutos.


Um veículo sendo transportado na balsa para a travessia do Rio Preguiças, que leva não mais de 10 minutos.


Os veículos sobem na balsa de ré, sem nenhum ocupante, somente o motorista, é claro. Os passageiros sobem na balsa fora dos carros, por isso precisam atravessar essa poça d'água, mas não é nada demais. Só é preciso um pouco de cuidado para os chinelos não saírem dos pés.   


As Toyotas têm uma cabine coberta, onde vai o motorista e pode ir um passageiro ao lado (uma pessoa idosa, por exemplo), e a parte descoberta.


As Toyotas precisam ser adaptadas e credenciadas porque não é qualquer veículo que consegue vencer os obstáculos das trilhas até os Grandes Lençóis Maranhenses, Veja como pode haver trechos com grandes poças d'água. Até essas Toyotas podem atolar. Mas os motoristas são muito experientes.


Veja como são os assentos das Toyotas que levam aos passeios nos Grandes Lençóis. Alguns outros veículos têm assentos mais novos e mais confortáveis. Podem ir até 4 pessoas em cada um desses bancos. Pensei que minha bunda fosse doer muito no final do passeio, mas até não!  


A balsa lda foto leva até quatro veículos, mas há outras maiores que levam até seis veículos por vez. Veja que todos os passageiros precisam ficar fora dos véiculos na balsa.


Abaixo, falo resumidamente dos sete passeios mais famosos dos Lençóis Maranhenses. Fiz somente do 1 ao 4, e falei sobre cada um deles separadamente em postagens que indicarei adiante. Não deixe de clicar nos links dessas postagens, pois lá dou muito mais detalhes. 





1) Circuito Lagoa Bonita

Este foi o primeiro passeio que fiz nos Lençóis Maranhenses, logo no meu dia de chegada em Barreirinhas, e aconteceu meio no susto porque o que estava agendado era o tour à Lagoa Azul. Eu sabia que o passeio à Lagoa Bonita era mais cansativo, portanto eu não quis fazê-lo no primeiro dia, uma vez que eu teria acabado de chegar de uma viagem cansativa, de quatro horas de duração, a partir de São Luis. Então eu tinha deixado o circuito da Lagoa Bonita para o dia seguinte, quando eu acordaria mais tarde e mais cheia de energia. Mas vou lhe contar o que aconteceu...

 Ao entrar na Toyota que nos pegou na pousada (o veículo já chegou ocupado com alguns turistas que fariam o mesmo tour), perguntei a passageira ao meu lado se aquele carro iria para a Lagoa Azul e ela disse que sim. O motorista idem. Porém, quando ele parou na agência de turismo para pegar o nosso guia, perguntei mais uma vez se estávamos indo para a Lagoa Azul e eles me disseram que não, que era para a Lagoa Bonita. Olha só que confusão. Alguns passageiros no carro pensaram ser a Lagoa Azul; outros (a maioria) pensaram ser a Lagoa Bonita. Como não tínhamos feito nenhum passeio ainda e já estávamos dentro do carro mesmo, aceitamos ir. Até para não perdermos aquela tarde. Agora, imagina se eu já tivesse feito a Lagoa Bonita um dia antes e tivesse entrado no carro sem perguntar nada, crente que estava indo para outro destino, e descobrisse no meio do caminho que iríamos à Lagoa Bonita... Não iria ter mais volta... Iria fazer tudo de novo... Então, meu amigo e minha amiga: quando você entrar no veículo, confira sempre com o motorista ou o guia se aquele é mesmo o passeio que você está pensando ser. É difícil acontecer enganos, mas não é impossível, principalmente na alta temporada, quando há mais movimentação de turistas.   

Mas a verdade seja dita: o cenário do Circuito da Lagoa Bonita foi a melhor apresentação que eu poderia ter tido às belezas dos Lençóis Maranhenses. Se o primeiro "cartão de visita" tivesse sido o circuito da Lagoa Azul, o impacto de deslumbre que eu tive não teria sido o mesmo. Teria sido um pouco menor. As lagoas e dunas que os turistas veem no passeio à Lagoa Azul são lindas também, mas não são tão desertas quanto às do circuito da Lagoa Bonita, e isso faz muita diferença no visual. Pois todo aquele campo de dunas parece um deserto. E nada melhor do que ver aquele "deserto, deserto". Além do mais, tenho que confessar que tive um amor à primeira vista com a Lagoa do Clone (faz parte do tour à Lagoa Bonita), que recebeu este nome porque serviu de cenário para a novela global O Clone.

Descrever o encontro de seus olhos com as lagoas e dunas no passeio da Lagoa Bonita só pode se reduzir mesmo à palavra "impacto", no seu melhor sentido. Afinal, assim que você acaba de "escalar" uma duna de 80 metros bem íngrime (uma corda fixada no local ajuda na subida), você é surpreendido pela presença deles, dos Lençóis, ali, esticados à sua frente, branquinhos, cobrindo toda aquela vastidão, como se fossem... grandes lençóis. Por isso serem chamados assim. Ouvi um turista do nosso grupo, que estava fazendo o tour da Lagoa Bonita pela segunda vez, dizer ao guia que a primeira vez que ele esteve ali, ele chorou por duas vezes. A primeira foi da dor que ele sentiu nas pernas após o esforço físico da subida na tal duna (acho que aqui ele estava brincando) e a segunda foi quando ele, do topo da duna, botou os olhos nos Lençóis Maranhenses (tenho certeza que aqui ele estava falando a verdade). Por isso é que eu digo que ver os Grandes Lençóis Maranhenses pela primeira vez é ser impactado.  

Devido ao esforço físico (considerado "médio") que o Circuito da Lagoa Bonita exige do visitante, não é aconselhável para idosos em geral, principalmente por causa da subida na duna de 80 metros. Mas, as condições físicas são muito mais importantes do que a idade. Por isso, há idosos que fazem esse passeio sim, e até com uma certa tranquilidade, mas dá para perceber que estão acostumados com atividade física. O importante é cada um ter consciência de suas limitações.
   
 O Circuito da Lagoa Bonita pode ser feito de mahã ou à tarde. Sinto que há uma preferência pelo turno da tarde porque o passeio termina com a contemplação do pôr do sol. 

Eu, que não queria me estender aqui, acabei falando muito, mas há bem mais detalhes sobre este passeio neste link aqui:

Como é o Circuito "Lagoa Bonita" nos Lençóis Maranhenses




Lagoa do Clone: uma das mais belas dos Grandes Lençóis Maranhenses. O visual é incrível! A visitação a esta lagoa faz parte do Circuito Lagoa Bonita.      


Os banhos nas lagoas (de água doce) são muito gostosos, pois a água chega a ser morninha. 


Pôr do sol na Lagoa Bonita - Grandes Lençóis Maranhenses



O pôr do sol nos Grandes Lençóis Maranhenses é um dos momentos mais esperados. Preciso dizer que é lindo?




2) Circuito Lagoa Azul

Este circuito é mais procurado do que o da Lagoa Bonita por ser menos cansativo porque a Lagoa Azul fica mais perto de barreirinhas e porque não há nenhuma duna específica que exija um grau maior de esforço físico, como na Lagoa Bonita. Mas isso não quer dizer que não haja muitas dunas para subir e descer durante a caminhada durante o tour da Lagoa Azul. Como o Circuito Lagoa Azul tem mais visitantes, consequentemente eles aparecerão em muitas de suas fotos das paisagens, mas sempre dá para descolar um ângulo vazio de uma lagoa com menos pessoas. Pois, além da Lagoa Bonita, no circuito são contempladas também outras lagoas às quais chegamos andando, como a Lagoa da Paz e a Lagoa da Preguiça, por exemplo. Em média, há paradas em seis lagoas, sendo duas delas usadas para banho de cerca de 30 a 40 minutos de duração. Apesar de ser um circuito com maior número de turistas, não deixe de fazê-lo, pois o visual é lindo. Há saídas de manhã e à tarde. O passeio da tarde sempre acaba com a contemplação do pôr do sol, que, no nosso caso, foi em frente à Lagoa da preguiça.


Fiz uma postagem só falando do Circuito la Lagoa Azul. Então, para ver mais detalhes, clique no link abaixo:


Lagoa dos Toyoteiros - uma das mais bonitas que são vistas durante o Circuito Lagoa Azul. Veja como a lagoa está cheia de banhistas (até que neste ponto não aparecem muitos). Lagoas "mais solitárias" você encontra no Circutio da Lagoa Bonita e principalmente em Atins e em Santo Amaro.  


A "Lagoa sem sobrenome", que foi uma de nossas paradas no Circuito Lagoa Azul, também estava cheia de visitantes. 



Uma parte mais vazia da "Lagoa sem sobrenome".


As belas dunas que parecem formar um "deserto" são também a grande atração do Circuito Lagoa Azul. Aliás, os Grandes Lençóis Maranhenses são isso: uma vastidão de dunas repletas de lagoas. Muitas dessas dunas são intercaladas com lagoas.    


Não se supreenda se você encontrar a Lagoa Azul verde e não azul. As duas cores são lindas e a lagoa idem.


3) Circuito Vassouras, Mandacaru e Caburé



Este é um passeio bem interessante porque você visita três lugares com atrações diferentes e, como ele só ocupa a metade do seu dia, ainda dá para fazer algum outro tour à tarde ou aproveitar para descansar na pousada, curtindo a piscina, ou passear pelo centrinho de Barreirinhas. Entretanto, se alguma agência de turismo em Barreirinhas tivesse formado um grupo para passar um dia em Santo Amaro, eu facilmente teria trocado o passeio de Vassouras, Mandacaru e Caburé por esse. Por um simples motivo: eu fui para Barreirinhas exclusivamente para ver os Grandes Lençóis Manranhenses, então quanto mais eu visse, melhor 😊 Ainda mais que as lagoas de Santo Amaro são consideradas as mais belas (ou entre as mais belas) dos Lençóis Maranhenses, com dunas ainda maiores. E o melhor: paisagens desertas, pois poucos são os viajantes que se aventuram lá. 

No Circuito Vassouras, Mandacaru e Caburé, você pega uma lancha voadeira na Avenida Beira Rio (Barreirinhas) e navega, num passeio prazeroso, pelo Rio Preguiças por cerca de 45 minutos até chegar à comunidade de Vassouras, onde estão os Pequenos Lençóis. Bonitos, mas não se compararm aos Grandes Lençóis. Ali, outra atração é a Tenda dos Macacos, onde os macacos-prego podem "interagir" com você em troco de banana. Mas, se você tiver medo, não se aproxime muito deles com a tigela de banana na mão, pois eles pulam em cima de seu ombro, de sua cabeça ou de seu braço para pegar a comida. Eles não mordem, já estão acostumados com a presença dos turistas. E muitos turistas, por sua vez, adoram quando eles "estão com a macaca" rsrsrs Quero dizer, quando os macacos estão em cima deles, o que vira uma atração para fotos.

Depois de Vassouras, o passeio segue para Mandacaru. O principal objetivo da parada nesse vilarejo é o Farol Preguiças, cujo topo oferece vista panorâmica do mar, do rio e dos Lençóis. Apesar da vista ser bonita, Mandacaru foi a parte do passeio que eu achei menos interessante.

A terceira parada, que é na Praia de Caburé, é relax total, mas você pode se dar um pouco de emoção andando de quadriciclo, já que há vários disponíveis para aluguel na praia. O resto do tempo é ficar descansando na rede ou nas cadeiras que ficam na areia, esperando seu almoço ficar pronto, ou tamando um banho relaxante no mar da praia.

Conto os detalhes deste circuito na seguinte postagem:

           

Os macacos-prego ficam numa reserva florestal atrás do bar Tenda dos Macacos. Eles adoram comer e pular nos ombros dos turistas. Só é permitido dar frutas aos animais. 



Os macacos-prego estão por toda parte e se aproximam daqueles que estão com aquilo que mais lhe atraem: babana! Você pode comprar a fruta no bar, aqui ao lado. 


Aqui, ao invés de você ver os macacos pulando de galho em galho, você os verá pulando de ombro em ombro rsrsrsrs É que eles pulam mesmo em cima dos turistas para pegar a banana dentro da tigela. 



Ao lado da Tenda dos Macacos, o que lhe espera são as dunas e lagoas (havia duas lagoas aqui, só que uma bem menor do que esta) dos Pequenos Lençóis.  


A deserta Praia do Caburé é para você descansar e esquecer da vida. Ou andar de quadriciclo. Aliás, esta é a área onde circulam os quadriciclos.



4) Circuito Atins e Canto do Atins

O passeio de um dia a Atins e Canto do Atins não é um dos mais procurados em Barreirinhas porque muitos turistas já se hospedam lá visto que a comunidade de Atins fica localizada bem próxima ao Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, então dá para fazer caminhadas até as dunas, lagoas e praias. Mas o local tem pouca infra-estrutura e isso pode ser uma desvantagem para aqueles que gostam de conforto e de algumas facilidades por perto, tais como farmácias, bancos e restaurantes, por exemplo. Para mim, esse passeio foi perfeito, mesmo Atins estando a cerca de duas horas de distância de carro de Barreirinhas. E eu nem achei cansativo porque a gente descansa quando chega nas lagoas. Aliás, não percebi ninguém do grupo muito cansado no final do passeio. Se eu tivesse tido mais dias de viagem, eu poderia até ter pensado em dormir duas noites em Atins para aproveitar ainda mais suas dunas e praias. Mas, sinceramente, vejo agora que eu não precisaria fazer isso porque a amostra que eu tive nesse passeio foi tão maravilhosa que eu acho que nem precisaria ver mais nada. A Lagoa Tropical e a Lagoa da Capivara são lindas, o banho nelas é delicioso, e o maior diferencial delas é que são praticamente desertas. Você se sente isolado do mundo no meio daquele "deserto branco" e o visual para as fotos fica incrível. A parada que tivemos nas praias é que foi curta, pois o foco do passeio a Atins é a contemplação das dunas e lagoas. Este foi o passeio que mais gostei de fazer nos Lençóis Maranhenses e recomendo fortemente. 

Dou todos os detalhes do circuito de Atins e Canto do Atins no link abaixo:

Atins e Canto do Atins: belas lagoas, dunas e praias nos Lençóis Maranhenses 

Lagoa Tropical - Lençóis Maranhenses


Nosso banho foi naquela lagoa ao fundo, que também faz parte da Lagoa Tropical. O guia é quem leva o grupo para as áreas de banho e é bom não sair pulando em qualquer lado da lagoa, pois há partes que são fundas. Sempre consulte seu guia primeiro.


O melhor banho de sol da minha vida - Lagoa Tropical - Lençóis Maranhenses


Veja como há poucas pessoas tomando banho na lagoa. Você se sente num paraíso quase só seu rsrsrs 


Lagoa Tropical - Circuito Atins - Lençóis Maranhenses




No Circuito de Atins, ainda dá tempo de descansar por meia hora na praia, seja na rede, na areia ou no mar. Pelo menos foi assim com nossa agência, pois não sei se todas seguem exatamente esse mesmo roteiro. 


Nos despedimos com a Lagoa da Capivara, que também é linda e enorme. Esta parte da lagoa, por exemplo, é funda. Mas havia outras menores onde nos jogamos.


Os passeios abaixo, nós não chegamos a fazer, mas são oferecidos em Barreirinhas e muito famosos. Desses, só tivemos interesse no passeio a Santo Amaro, como já expliquei acima. Mas não se formou nenhum grupo para sair em excursão. Ficará para a próxima, quem sabe. 

5) Boia-Cross no Rio Formiga

Este é um passeio de meio-dia, que cai bem no seu último dia em Barreirinhas, pois dá tempo de fazê-lo de manhã e embarcar para São Luís à tarde. É uma alternativa para quem quer variar de paisagens, se bem que eu acho que admirar os Lençóis Maranhenses nunca cansa. Você vai de jardineira até a comunidade de Cardosa para fazer a flutuação em boia pelo Rio Formiga. E então é só se deixar levar pela correnteza!

6) Passeio a Santo Amaro


Se antes de chegar a Barreirinhas, eu já estava mega empolgada para fazer o passeio de dia inteiro a Santo Amaro (porta de entrada oeste do Parque Nacional), acreditando que ainda se levava quase quatro horas para chegar lá, imagina quando o guia me contou que agora a estrada está bem melhor e que se chega lá com mais facilidade, em torno de duas horas. Aí então é que eu fiquei super animada, mas, infelizmente, não saem passeios para Santo Amaro todo dia, pois a procura não é muito grande. Muitos turistas também já se hospedam por lá, apesar de ser um local bem rústico (mas muitos gostam assim), com ruas de areia e pouca infra-estrutura. A agência de turismo São Paulo Ecoturismo, que é a mais famosa de Barreirinhas (mas não cheguei a fazer nenhum passeio com eles), geralmente forma grupos para Santo Amaro, mas na época da minha visita, esse passeio só aconteceria dois dias depois de eu já ter deixado a cidade. Um tour privativo sairia caro, R$600,00. Então deixei pra lá. Acredito que o passeio seja corrido, mas sempre ouvi dizer que as lagoas de Santo Amaro são muito bonitas. Mas sabe o que me disseram quatro guias de lá? Que as lagoas que eu estava visitando (as dos circuitos que mencionei acima) estavam tão bonitas quanto as de Santo Amaro (tipo, "não ficavam devendo em nada") porque havia chovido muito naquele ano (eu fui em julho, na época das lagoas cheias). Então, eu até nem fiquei tão frustrada porque se eu já tinha conseguido ver as irmãs gêmeas, eu já estava feliz rsrsrs  Geralmente no passeio de dia inteiro a Santo Amaro, a partir de Barreirinhas, são visitadas a Lagoa da Andorinha e a Lagoa da Gaivota. Ouvi dizer que a Lagoa da Gaivota é a maior do Lençóis Maranhenses e uma das mais bonitas.    

7) Sobrevoo dos Lençóis Maranhenses


É só fazer uma pesquisa no Google para ver como são lindas as imagens dos Lençóis Maranhenses fotografadas do alto. Como os Lençóis ocupam um vasto território, nada como apreciá-los em sua plenitude, e isso é possível num passeio que eles oferecem a bordo de um avião monomotor. Como eu tenho medo até de aviões possantes (podem acreditar...), não fiz.


**************


Quer mais aventura que inclua os Lençóis Maranhenses? Já ouviu falar na Rota das Emoções? É um roteiro entre os estados do Maranhão (Lençóis Maranhenses), Piauí (Delta do Parnaíba) e Ceará (Parque Nacional de Jericoacoara). Essa viagem eu ainda não fiz, mas, se você fez, me conta aqui o que achou!


Veja também as seguintes postagens:

Como é o Circuito "Lagoa Bonita" nos Lençóis Maranhenses

Como é o "Circuito Lagoa Azul" nos Lençóis Maranhenses

Vassouras, Mandacaru, Caburé - o passeio 3 em 1 dos Lençóis Maranhenses

Atins e Canto do Atins: belas lagoas, dunas e praias nos Lençóis Maranhenses